Corinthians festeja volta do bom futebol

A vitória sobre o Atlético-MG em pleno Mineirão mudou radicalmente o discurso no Corinthians. Mais do que o resultado, os jogadores e o próprio técnico Geninho comemoram o bom futebol. A grande maioria entende que o time resgatou a autoconfiança e já apostam uma reação no Campeonato Brasileiro, mesmo sabendo que a posição da equipe ainda é desconfortável: nono lugar, com 36 pontos ganhos - 12 a menos que os líderes, Cruzeiro e Santos. Antes da vitória sobre o Atlético-MG, os jogadores acreditavam, no máximo, se classificar para a Libertadores, ficando entre os três primeiros no Campeonato Brasileiro - ou até em quatro, se o Cruzeiro (já garantido na Libertadores por ter ganho a Copa do Brasil) estiver entre esses três. Agora, prometem entrar na briga pelo título. "Só desistiríamos do título se faltassem quatro ou cinco rodadas para o final da competição", argumenta André Luiz, que já participou de uma reação pelo próprio Corinthians em 2001, quando o time ganhou 10 partidas seguidas e foi campeão paulista sob o comando de Vanderlei Luxemburgo. De acordo com o volante, a vitória sobre o Atlético-MG foi importantes por várias razões. Além de resgatar a confiança do time, colocou um ponto final nas especulações envolvendo a queda de Geninho. André entende que tudo isso deve ajudar. "Essa vitória era tudo o que a gente precisava". Geninho, que não deu entrevistas hoje, no domingo reconheceu que o comportamento do time foi outro. O técnico disse que nunca duvidou do poder de reação da equipe. "Eu sabia que o time responderia bem a partir do momento em que jogasse completo. Acho que agora, com todos os jogadores entrando em forma e podendo contar com todos os meus titulares, o Corinthians está mais qualificado. Com certeza, nosso desempenho no segundo turno será bem melhor. Não ficarei surpreso se o time chegar". O técnico ficou satisfeito com a resposta do time em todos os sentidos. Além da vitória em si, o Corinthians voltou a mostrar algumas virtudes fundamentais. "Já não estamos errando mais tanto nos passes. O time voltou a ter a posse de bola e não se desesperou nos momentos mais difíceis. Mostrou maturidade mesmo quando ficou com um a menos", observa o técnico. Geninho também comemorou a ascensão de alguns jogadores. O volante Fabrício, que já tinha jogado bem na derrota para o Figueirense, foi um dos melhores contra o Atlético-MG. O próprio Fabrício, no entanto, acha que seu desempenho é produto da ascensão coletiva da equipe. "Recuperamos a confiança e voltamos a jogar bem. Seremos campeões se mantivermos a regularidade". O que o time mais precisa é uma sequência de vitórias no Campeonato Brasileiro. Os próximos adversários são Paysandu, em Belém do Paraná, Vasco da Gama e Internacional, no Pacaembu. Antes disso, o Corinthians enfrenta o Fluminense, pela Copa Sulamericana, quarta-feira, no Rio. Os jogadores, no entanto, vêem esse jogo como um treino, já que o Corinthians perdeu na estréia para o Atlético-MG e quase não tem chances na competição. Marquinhos, expulso, e Gil, suspenso pelo terceiro amarelo, não enfrentam o Paysandu, no domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.