Corinthians fica mais tranqüilo

O Corinthians conseguiu a tranqüilidade que tanto pretendia nos dias que antecederam ao jogo deste domingo contra o Atlético-PR. Neste sábado pela manhã, o treino realizado no Centro de Treinamento do Coritiba, na cidade de Colombo, região metropolitana de Curitiba, não teve a presença de público. O local fica distante do centro e, além disso, poucos sabiam que a atividade seria lá. Bem diferente do que se o treinamento ocorresse no Parque São Jorge, onde certamente a pressão da torcida seria grande. Ao contrário, os jogadores foram tratados com bastante carinho e admiração pelos juvenis, que treinaram no mesmo horário. A presença do Corinthians tornou mais lenta a caminhada dos garotos de 15, 16 anos, para um dos cinco campos do CT, a ponto de o treinador ter de pedir rapidez para poder começar o trabalho. "Olha, aquele é o Tevez´´, disse um. "O Carlos Alberto é bem habilidoso´´, falou outro. "É, mas o São Paulo deitou 5 a 1 neles´´, lembrou um terceiro, referindo-se ao jogo de domingo passado."Eu sou corintiano e gosto do Tevez´´, disse Fagner, 16 anos, atacante do juvenil do Coritiba, que parou para tirar um foto com uma máquina digital que trazia na mão. "Por enquanto, penso no Coritiba, mas quem sabe um dia eu não jogo lá?´´, sonha. Mas o time está mal... "Estamos, mas estamos entrosando a equipe.´´ Terminados os treinos de ambas as equipes, a garotada, em vez de ir para o ônibus escolar que os levaria para os alojamento, decidiu parar perto do campo onde estavam os corintianos, à espera que saíssem para tirar fotos. Os mais solicitados foram Tevez e Carlos Alberto, que se deixou fotografar ao lado de dezenas de garotos. Formou-se uma fila e, um a um, os fãs tiraram fotos junto com o ídolo. "É legal, para eles, tirar foto com um de nós é a realização do sonho.Todos buscam isso, eu também procurava os profissionais, não faz muito tempo. E no dia seguinte ficava procurando no jornal para ver se saía minha foto ao lado do cara´´, disse Carlos Alberto, relembrando sua época de juvenil do Fluminense. Só não citou com quem fotografava. Apenas lembrou que Roger atuava no time principal. "Hoje jogamos juntos.´´ Carlos Alberto não deu conselhos aos garotos, mas torce para que tenham futuro. "Eles estão num bom caminho, numa equipe grande como o Coritiba. É difícil todos vingarem. Tomara que um bom número deles consiga (virar profissional), até porque é bom para o futebol brasileiro.´´ Já o jovem goleiro corintiano Tiago recebeu um pedido de um goleiro mais novo ainda, Gabriel, de 16 anos, que está há 1 mês no Coritiba, após passar por Inter de Limeira, São Paulo e Grêmio: um par de luvas. A que usava estava surrada, rasgada e com os dedos puídos - o clube ainda não lhe deu uma. Mas foi embora sem ter o pedido atendido, apesar dos esforços de Tiago. "É que o material já estava fechado, na caixa´´, lamentou o goleiro do Corinthians. Marcação forte - O treino de ontem do Corinthians foi marcado pela descontração. Primeiro, foi realizada uma "queimada´´, em que os membros de uma equipe podiam acertar os da outra com a bola arremessada com as mãos ou então chutada. Depois, aconteceu um rachão no qual o técnico interino, Márcio Bittencourt, marcou implacavelmente o meia Carlos Alberto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.