Corinthians fica na mira do "tapetão"

A escalação do volante Cocito na partida de domingo, no Pacaembu, contra o Flamengo, pode representar o início de um pesadelo para o Corinthians no Campeonato Brasileiro. Enquanto o técnico Geninho, a diretoria e o próprio jogador festejam a chance de, finalmente, poder contar com o substituto de Vampeta, o regulamento do Campeonato Brasileiro é claro no que se refere ao registro de jogadores. A Agência Estado apurou que, se Cocito atuar, o Corinthians correrá o risco de perder pontos. O artigo 7.º do capítulo 3, intitulado "Da condição de jogo dos atletas", diz, textualmente: "Após a realização da primeira rodada poderão participar da competição os atletas cujos nomes constem do BID (Boletim Informativo Diário) publicado até às 19:00 h da véspera do intervalo mínimo de três dias úteis antes da realização de cada partida." Na quarta-feira passada, quando o time esteve no Rio para enfrentar o Vasco, integrantes da delegação corintiana encaminharam pessoalmente à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a documentação necessária para o registro do novo reforço. Segundo o gerente do Futebol, Edvar Simões, que se manifestou oficialmente por intermédio da assessoria de imprensa, o prazo de 72 horas entre a publicação do registro e a liberação para jogar não existe nesse caso. De acordo com ele, a CBF teria garantido que desprezaria tal exigência por causa do feriado prolongado de uma semana no Rio. O expediente na entidade, por exemplo, foi paralisado na sexta-feira e só será retomado amanhã. O que, talvez, os dirigentes paulistas não estejam levando em consideração é que CBF e Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) passam por período conturbado de relacionamento. Não seria nada difícil para o presidente do tribunal, Luiz Zveiter, acatar eventual processo do Flamengo requerendo os pontos sob alegação de o Corinthians ter colocado no campo atleta irregular. "É preciso notar que o fato de o clube ter entregue a documentação em um dia, não quer dizer necessariamente que a publicação no BID saia no dia seguinte. Afinal, é preciso chegar papéis de diversos locais, como a federação onde o atleta estava inscrito e daquela para a qual está mudando", explicou o assistente do Departamento Jurídico da CBF, Valed Perry. "Não existe prazo mínimo ou máximo para a publicação após a entrega da documentação referente ao registro." >b>O que é isso? - O BID é um documento criado este ano pela CBF para normalizar a situação dos atletas inscritos para o Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil. É obrigação do Departamento de Registro da CBF repassar às federações uma cópia do boletim que contenha alguma resolução sobre atletas a elas relacionados. Se a CBF se atrasar na publicação - como ocorreu com Leandro, do Guarani, que foi inscrito com antecedência, mas só constou do documento semanas depois -, o clube prejudicado pode entrar com um pedido de mandado de garantia no STJD e, assim, garantir a presença do atleta. O Flamengo agiu assim com Luciano Baiano. Ele atuou no Fla-Flu por causa desse dispositivo jurídico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.