Oli Scarff|AFP
Oli Scarff|AFP

Corinthians fica sem poder de negociação para vender Pato

Clube gastaria R$ 7 milhões até o fim do ano com o atacante; jogador procura clube após encerrar vínculo com o Chelsea

VÍTOR MARQUES, O ESTADO DE S.PAULO

19 de maio de 2016 | 05h00

Se Alexandre Pato retornasse ao Corinthians após o término do empréstimo ao Chelsea e cumprisse seu contrato até o fim, o clube paulista gastaria ao menos R$ 7 milhões com o jogador entre salários, direitos de imagens e impostos. Por esse motivo, o atacante será negociado, mais uma vez, na próxima janela de transferência.

O Corinthians não terá nenhum poder de barganha nesse novo acordo. O clube já admite prejuízo e ficaria aliviado apenas em não pagar os salários do jogador. O contrato de Pato termina em dezembro, mas ele pode assinar um pré-contrato com outra equipe em julho e se transferir em janeiro sem que o clube paulista receba qualquer centavo nessa transação.

O Chelsea, que arcou com os salários do atleta desde fevereiro, não sinalizou que irá continuar com Pato e tampouco pensa exercer opção de compra após o empréstimo. O desempenho do atleta também não justifica o investimento. Pato demorou dois meses para estrear, jogou apenas duas partidas pelo time londrino e marcou um gol, de pênalti. Havia a expectativa de que, com a mudança de técnico, Pato pudesse continuar no Chelsea.

Um jornal inglês, o Daily Star, publicou que Antonio Conte, treinador que substituiu Guus Hiddink, gostaria de contar com Pato para a próxima temporada. Nem o Corinthians acredita nessa possibilidade. “O Pato tem contrato com o Chelsea até junho. Ainda não discutimos nada (sobre o futuro). Mas nem se cogita um retorno (ao Corinthians)”, afirmou o empresário do atleta Gilmar Veloz.

A contratação de Pato é considerada um dos maiores micos da história do Corinthians, principalmente pelo alto valor da negociação. O clube, logo após a coquista do Mundial de Clube, pagou R$ 40 milhões pelo jogador, que acertou salário padrão ‘europeu’ (R$ 800 mil) e um contrato de quatro anos. Porém, ele atuou pelo Corinthians durante pouco mais de um ano, até fevereiro de 2014, quando foi negociado, por empréstimo, com o São Paulo por duas temporadas. Pelo acordo, os clubes dividiram os salários do jogador.

Em crise financeira, o Corinthians sempre teve dificuldade de honrar os pagamentos de Pato. Por exemplo: até o fim do ano passado, o clube devia quase R$ 4 milhões ao jogador, compromisso que foi pago quando ele se transferiu para o Chelsea. Pato perdeu moral dentro do clube após errar uma cobrança de pênalti contra o Grêmio, nas quartas de final da Copa do Brasil, em 2013. Ele passou a ser criticado pelos torcedores até que, em 2014, o atacante acertou a transferência para o São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.