Sérgio Neves/AE
Sérgio Neves/AE

Corinthians ganha de virada do Goiás e segue na briga pela liderança

Com os 5 a 1 em casa o time alvinegro fica provisoriamente a um ponto do líder do Brasileirão

MILTON PAZZI JR., estadão.com.br

04 de setembro de 2010 | 20h22

SÃO PAULO - O Corinthians segue firme na briga para voltar à liderança do Campeonato Brasileiro 2010. Venceu o Goiás por 5 a 1 neste sábado, de virada e com amplo domínio da partida no Estádio do Pacaembu, e assim mantém o segundo lugar na classificação, no começo da 19.ª rodada. Festa para fechar a semana do centenário, com dois gols de Iarley, olé no adversário e parabéns para você vindos da torcida.

Veja também:

SÉRIE A - tabelaClassificação | listaCalendário/resultados

Provisoriamente a diferença é de um ponto a menos que o Fluminense, primeiro colocado com 38 pontos - que joga só no domingo -, com os corintianos tendo ainda uma partida adiada a disputar na competição. Uma diferença que pode voltar a quatro pontos se o time tricolor vencer. Independente disso, o time alvinegro - que jogou com a camisa bege que homenageia os fundadores - volta a jogar na quarta-feira, contra o Atlético-PR, fora de casa.

Susto e alegria. Foi assim que o jogo começou, com 35.119 torcedores no total no estádio. Quando o jogo ainda estava com a sensação de começo, o Goiás - que estreou o técnico Jorginho, ex-auxiliar da seleção brasileira - abriu o placar: o experiente lateral-esquerdo Júnior acertou um belo chute de fora da área para mandar a bola no ângulo, sem chance de defesa para o goleiro Júlio César, fazendo 1 a 0.

Depois disso, só pressão corintiana. Sem exagero. Só no primeiro tempo foram quase 20 finalizações do time alvinegro. E o goleiro Harley trabalhou bastante. Iarley acertou a trave - a bola desviou em chute - aos 19 minutos; aos 26 minutos foi a vez de Jorge Henrique, acertando a bola com o peito, sozinho, após cruzamento de Iarley, mandá-la no travessão; e, por três vezes (aos 23, aos 29 e aos 39 minutos) Bruno César, em falta, obrigar o goleiro do time alviverde a fazer boas defesas.

A pressão foi convertida em gol só aos 42 minutos, quando Bruno César fez, de cabeça, após cruzamento de Jorge Henrique. O que ajudou é que quatro minutos antes Amaral fez outra falta dura e, como recebeu o segundo cartão amarelo, acabou expulso.

O 1 a 1 no placar não satisfazia o time corintiano e no segundo tempo a pressão continuou. Agora, para alívio dos torcedores, se convertendo em gols. Aos 10 minutos Iarley fez 2 a 1, após ser lançado, driblar Harley e chutar no gol vazio. Aos 15 minutos foi a vez de Jorge Henrique fazer 3 a 1, aproveitando rebote do goleiro. Com 29 minutos, Iarley fez seu segundo gol na partida, de pênalti (cometido por Romerito em Bruno César).

E, aos 38 minutos, Boquita chutou, a bola desviou em Marcão e matou Harley, entrando no gol, garantindo os 5 a 1 no placar e a festa.

Complicado. A derrota para o Corinthians mantém o Goiás na lanterna da classificação do Brasileirão, com apenas 13 pontos ganhos em 19 jogos. O próximo jogo do time alviverde é contra o Guarani, na quarta-feira, às 19h30, no Estádio Serra Dourada (em Goiânia-GO).

 CORINTHIANS - 5 - Júlio César; Alessandro, Paulo André , Leandro Castan e Roberto Carlos (Danilo); Ralf , Paulinho (Defederico ), Jucilei e Bruno César (Boquita); Jorge Henrique e Iarley. Técnico: Adílson Batista

 GOIÁS - 1 - Harlei; Rafael Tolói , Marcão e Douglas ; Valmir Lucas , Amaral , Jonílson (Romerito ), Bernardo (Wellington Monteiro) e Júnior ; Felipe (Rithelly) e Rafael Moura. Técnico: Jorginho

Gols - Júnior, aos 7, e Bruno César, aos 42 minutos do primeiro tempo; Iarley, aos 10 e (pênalti) aos 29, Jorge Henrique, aos 15, e Boquita, aos 38 minutos do segundo tempo; Público - 31.638 pagantes; Renda - R$ 1.106.276,00; Árbitro - Gutemberg de Paula Fonseca (RJ); Local - Estádio Pacaembu, em São Paulo (SP)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.