Corinthians ganha e salva Márcio

Não foi o resultado dos sonhos, mas ao bater o Atlético-PR por 2 a 0, neste domingo, no Pacaembu, o Corinthians se recupera da má fase - não ganhava há cinco jogos -, se mantém na briga pela liderança do Campeonato Brasileiro - ocupa o 5º lugar, com 43 pontos - e, principalmente, dá sobrevida ao técnico Márcio Bittencourt. Pelo menos até o duelo contra o River Plate, da Argentina, nesta quarta-feira, no Morumbi, pela Copa Sul-Americana. O resultado também valeu para reabilitar alguns jogadores com a torcida, casos de Roger e Carlos Alberto - autor do segundo gol -, ambos aplaudidos pela Fiel. ?É isso que precisamos fazer: não dá na técnica, vai na raça?, disse Roger, que voltou a atuar bem. O Corinthians explorou os lances laterais, especialmente com Eduardo. Aos 12 minutos, o jogador driblou três rivais, em velocidade, mas arrematou para fora. Outra arma paulista eram as tabelas entre Roger e Tevez, que chegavam freqüentemente à área. O problema é que a defesa do Atlético-PR marcava bem - tanto que Diego não fez nenhuma defesa difícil na etapa inicial. Outro detalhe é que Nilmar, ao contrário da estréia, quase não foi notado - só finalizou uma vez, e sem maior perigo, aos 42. O Atlético-PR apostou em Denis Marques e Lima, mas a dupla teve atuação prejudicada pela ineficácia do meio-campo. Marcão, sem categoria para a função, tentava armar os lances ofensivos. O time de Márcio Bittencourt voltou mais disposto para o segundo tempo. Na velocidade, Tevez passou por Paulo André e Danilo, chutou bem, mas Diego fez firme defesa. A insistência corintiana foi premiada pela sorte. Aos 13 minutos, na falta da direita batida por Eduardo, Marcus Vinícius cortou mal a bola, que sobrou limpa para Marcelo Mattos mandar para as redes. Diante da fragilidade do adversário - que só ameaçou Marcelo uma vez, aos 10, quando Ferreira bateu falta de longe -, os paulistas não tiveram tanto trabalho para administrar o resultado. Até Carlos Alberto se reencontrou com o gol. Aos 41, o atacante foi lançado por Rosinei, tocou na saída de Diego e marcou o segundo. Mais do que o resultado, os corintianos festejaram a tranqüilidade para trabalhar. Pelo menos até quarta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.