Corinthians ganha por 2 a 0 e garante vaga

Juninho Fonseca gritou e comemorou bastante a vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo da Paraíba, que garantiu nesta quarta-feira a classificação do Corinthians para a próxima fase da Copa do Brasil. Porém, a partir desta quinta-feira vai trocar a festa pela reflexão. Apesar da vitória, seu esquema tático foi um fiasco e, caso não seja revisto, vai deixá-lo na corda-bamba bem antes de o time adquirir o entrosamento que todos julgam ideal. Desde o período de férias, o treinador pensa na formação com três atacantes. E foi assim que entrou no campo, em João Pessoa.Juninho escalou Régis, Gil e Marcelo Ramos na frente. Porém, no meio, como não podia contar com Adrianinho, machucado, optou por três volantes: Rincón, Fabinho e Fabrício. Rodrigo e Dinélson, os únicos com características de armadores, ficaram no banco. Não precisa ser especialista em táticas de futebol para imaginar o que aconteceu. A bola não chegou aos atacantes. O que se viu foram momentos pífios, como o marcador Fabinho, todo desajeitado, tentar fazer jogada pelo lado direito do ataque. Ou então os zagueiros atuando como lançadores.E assim seguiu o jogo, um tédio só. De um lado uma equipe humilde, patrocinada por um tal de "Restaurante Cheiro Verde" e com folha de pagamento insuficiente para pagar o salário de três titulares corintianos jogando de igual para igual (e em alguns momentos até melhor) que o adversário todo poderoso, tricampeão brasileiro, bicampeão da Copa do Brasil, campeão mundial e patrocinado por duas multinacionais.Só aos 25 minutos Juninho acordou para a realidade e decidiu mudar. Colocou no campo exatamente aqueles que poderiam criar algo. E foi do pé de Rodrigo que nasceu o primeiro gol. O meia cruzou e o zagueiro paraibano desviou de cabeça para marcar contra. O zagueiro Marquinhos, do Corinthians, comemorou e ficou com a autoria. O gol que garantiu a classificação veio nos acréscimos. O também zagueiro Anderson, com estilo de atacante, foi lançado, invadiu a área e tocou na saída do goleiro. Em resumo, o Corinthians entrou com três atacantes e foram os zagueiros que marcaram. É para pensar!

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.