Corinthians: gastrite afasta Carlos Alberto

A gastrite de Carlos Alberto voltou a atacar hoje e o meia teve de ser cortado da intertemporada que o Corinthians inicia nesta terá-feira em Águas de Lindóia. Ele também está fora da partida de domingo, contra o Flamengo, em Mogi Mirim. "Não foi exatamente uma recaída no quadro da gastrite. Mas como ele não melhorou o que esperávamos, achamos prudente deixá-lo em São Paulo, tratando desse problema", esclarece o médico do clube, Paulo de Faria. Carlos passou por uma endoscopia semana passada para saber a causa de suas dores estomacais. A princípio, segundo Paulo de Faria, o meia não fará novos exames. "Vamos seguir com a medicação para ver se ele reage", diz o médico. Os primeiros sintomas da gastrite de Carlos Alberto surgiram durante o jogo contra o Atlético-MG, no Mineirão, há dez dias. Em pleno gramado, o meia teve enjôo e precisou ser substituído. Antes da gastrite, Carlos Alberto vinha reclamando de cansaço e fortes dores musculares nas pernas após treinos e jogos. Foi detectado nele um problema de circulação sanguínea e, desde então, Carlos vem jogando e treinando com uma meia elástica especial, que facilita a circulação do sangue. "Ele está muito abatido", diz Paulo de Faria. Carlos Alberto ficará treinando no Parque São Jorge, supervisionado pelo preparador Carlos Pimentel, enquanto os demais atletas treinarão em Águas de Lindóia. O atacante Gil, com dores musculares, fará companhia a Carlos Alberto. O meia Hugo, recuperado de lesão, foi liberado para viajar com o grupo. Contundido num jogo contra a Portuguesa santista, em 17 de abril, ele chegou a jogar contra o Atlético-MG, há dez dias. Entrou no segundo tempo, no lugar de Roger. Mas ficou só 14 minutos e logo teve de ser substituído, por ter sentido novamente a lesão. "Não acho que tenha sido um retorno precipitado. Treinei bastante antes de decidir voltar. O que aconteceu foi uma fatalidade", diz Hugo. Apesar de ser meio-campista de origem, Hugo topa ser improvisado no ataque, caso o técnico Márcio Bittencourt ache necessário. "No Juventude, cheguei a jogar na frente e fiz vários gols", diz Hugo. "Mas não seria o camisa 9, e sim aquele atacante que vem de trás com a bola dominada". Com Tevez na Seleção Argentina, Bobô na Seleção Sub-20 e Gil machucado, Márcio ficou só com um atacante no elenco, Jô. Dois jogadores que vinham treinando nos juniores, Wilson e Abuda, tiveram de ser reincorporados ao elenco. Kia Joorabchian, o homem forte da MSI, segue na Europa tentando contratar Vágner Love. Liedson também ainda interessa. Mota, ex-Cruzeiro, foi oferecido. E recusado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.