REUTERS/Amanda Perobelli
REUTERS/Amanda Perobelli

Corinthians controla Goiás, vence em casa por 1 a 0 e iguala pontuação do líder Palmeiras

Equipe do técnico Vítor Pereira não sofre sustos e garante três pontos importantes antes de clássico com o Santos pela Copa do Brasil

Pedro Ramos, O Estado de S.Paulo

19 de junho de 2022 | 18h02

O Corinthians aproveitou a série de desfalques do Goiás, venceu o adversário por 1 a 0 neste domingo e igualou os 25 pontos do líder do Brasileirão, o Palmeiras, que tem melhor saldo e um jogo a mais - o time enfrenta o São Paulo nesta segunda-feira no Morumbi. A partida na Neo Química Arena contou com a presença de Tite, técnico da seleção brasileira, e ídolo do clube.

O Corinthians não foi um time brilhante, mas desta vez dominou as ações ofensivas desde o início de partida e não sofreu sustos. Aos 11, Róger Guedes escapou pela direita e cruzou na área com perigo. Tadeu não conseguiu tocar na bola e, na sequência, Mantuan finalizou em cima da zaga. Era uma pequena mostra do que seria a disputa. Dois minutos depois, Cantillo cobrou escanteio, Renato Augusto desviou de cabeça, mas Guedes dividiu com Juan Pablo e a bola foi por cima do travessão.

A equipe de Vítor Pereira rodava a bola de um lado para o outro, mas faltava ser mais contundente nos passes decisivos. O gol saiu após uma roubada de Cantillo, que acionou Róger Guedes. O atacante rolou para Adson chutar e Tadeu espalmar. Na sobra, o próprio Guedes finalizou, mas Caio Vinicius tentou bloquear o chute com um carrinho e a bola tocou em seu braço. Como a bola bateu antes na barriga do atleta, o pênalti poderia não ser marcado. Mas foi. Na cobrança, Fábio Santos mostrou toda a sua categoria e só deslocou o goleiro para abrir o placar.

No início do segundo tempo, o Corinthians tentou o segundo gol para ter mais tranquilidade e não sofrer como vinha acontecendo em outros jogos. Mantuan arriscou de fora da área e a bola raspou o travessão. Mas o Goiás esboçou uma pressão. Aos 15, Maguinho cruzou da direita e Pedro Raul testou a bola em cima de Cássio. Com 30 minutos do segundo tempo, o torcedor do Corinthians prendeu a respiração. Pedro Raul teve a camisa puxada por Robson dentro da área, mas a arbitragem não entendeu o lance como penalidade. O Corinthians soube controlar o jogo até o apito final.

Ainda se faz clara a necessidade de reforços no time paulista em vários setores para a equipe seguir firme nas primeiras posições do Brasileirão, além do mata-mata da Copa do Brasil e também da Libertadores. Mas, apesar disso, o Corinthians novamente buscou um resultado importante na competição nacional e segue com ótimo desempenho em casa. 

Um dos grandes momentos da partida na Neo Química Arena, com a presença de 35 mil torcedores na fria São Paulo, foi a volta de Fagner, que estava machucado. Ele foi bastante aplaudido pelos corintianos. Fagner tem sido, ao lado de Cássio, um dos jogadores mais importantes do time nos últimos anos.

Corinthians 1 x 0 Goiás

Corinthians: Cássio; Rafael Ramos (Fagner), Gil (Robson), Raul Gustavo e Fábio Santos; Cantillo (Giuliano), Du Queiroz, Mantuan (Lucas Piton), Renato Augusto (Xavier) e Adson; Róger Guedes. Técnico: Vítor Pereira. Goiás - Tadeu; Maguinho, Da Silva, Yan Souto e Juan Pablo (Elvis); Auremir (Luan Dias) e Caio Vinícius (Fellipe Bastos); Dieguinho, Vinícius e Dadá Belmonte (Pedro Junqueira); Pedro Raul. Técnico: Jair Ventura.

Gols: Fábio Santos, 33 do primeiro tempo.

Amarelos: Maguinho, Caio Vinícius, Da Silva, Róger Guedes

Árbitro: Braulio da Silva Machado.

Público: 35.900.

Renda: R$ 2.188.138.23

Estádio: Neo Química Arena, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.