Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Corinthians inicia a semana decisiva entre o 'céu e o inferno'

Equipe pode conquistar o título da Copa do Brasil ao mesmo tempo em que vive situação bastante delicada no Campeonato Brasileiro

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2018 | 05h03

O Corinthians inicia a semana da decisão contra o Cruzeiro vindo de uma derrota para o Santos por 1 a 0, no Pacaembu, e convivendo com dois cenários completamente diferentes quando olha para o Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil

A necessidade de “virar a chave”, rotina em clubes que disputam duas ou mais competições ao mesmo tempo, é mais do que um discurso clichê no Corinthians. É uma realidade. Afinal, a equipe está a um jogo de poder conquistar o título da Copa do Brasil – ainda que tenha de reverter o marcador adverso de 1 a 0 na partida de ida, em Minas – e ao mesmo tempo vive situação delicada no Campeonato Brasileiro – já começa a flertar com a zona de rebaixamento: tem 35 pontos em 29 jogos. 

Jair Ventura admitiu, após a derrota para o Santos, estar preocupado. Disse que o time precisa saber lidar com as situações. “O céu e o inferno estão próximos demais, mas não podemos deixar nossa condição no Brasileirão nos atrapalhar para a decisão de quarta-feira.”

O fato é que o resultado contra o Cruzeiro será fundamental para a sequência de trabalho de Jair. O título lhe dará um pouco de paz, mesmo com o torcedor assustado com a proximidade da zona de rebaixamento.

Caso a taça da Copa do Brasil fique com o Cruzeiro (joga pelo empate em Itaquera), a pressão sobre o técnico deverá ser grande, mesmo recém-chegado. Ele decidiu priorizar a Copa do Brasil. Por isso apostou em formação mista contra o Santos. Foram quatro titulares que estavam no jogo de Minas – Léo Santos, Gabriel, Douglas e Mateus Vital. “Quando entramos com times alternativos, perdemos pontos. Já imaginava isso”, disse Jair, consciente dos riscos.

 
 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.