Corinthians já não intimida rivais

Os adversários não respeitam o Corinthians como antigamente. Este foi o principal problema detectado pelo técnico Wanderley Luxemburgo após a derrota de domingo diante da Matonense. Para o treinador, a partir do momento que a equipe retomar a confiança, as vitórias fora de São Paulo, que não ocorrem desde abril do ano passado, vão voltar a fazer parte da rotina do clube. "O time precisa readquirir a personalidade. ?Os adversários já não têm receio de nos atacar. A Matonense fez um gol e continuou ofensiva e por isso é necessário fazermos com que o Corinthians volte a ser forte", observou o técnico. Na opinião de Luxemburgo a derrota deixou a equipe distante da classificação entre os quatro primeiros que chegam às semifinais. O Corinthians ainda têm 10 jogos até o fim da primeira fase, das quais seis serão na casa do adversário. Para ele, serão necessários conquistar pelo menos 75% dos pontos. "É difícil mas vamos tentar", garantiu o treinador. Para a partida contra o São Caetano, sábado, no Anacleto Campanella, o técnico não vai poder contar com o zagueiro Fábio Luciano e com o volante André Luiz, suspensos por terem sido expulsos diante da Matonense. O meia Marcelinho também ficará de fora por ter recebido o segundo cartão amarelo. Por outro lado, o técnico não terá o desfalque do volante Otacílio devido a um equívoco do árbitro Alfredo dos Santos Loebeling.Na partida contra o Palmeiras, o juiz mostrou o cartão amarelo para o volante, mas escreveu na súmula o número 16, pertencente ao lateral-esquerdo Kléber. A Federação Paulista já avisou que o cartão foi registrado para o lateral e, por isso, Otacílio deve atuar na próxima partida. Otacílio mostrava alívio com a situação. "Estou satisfeito porque agora estou precisando de ritmo de jogo e só a seqüência das partidas vai fazer com que eu me entrose com a equipe", disse o jogador. O time fez um amistoso hoje no Parque São Jorge, no qual venceu o Santo André por 2 a 0, gols de Pereira e Gil. Das arquibancadas, o técnico novamente não se mostrou satisfeito com o desempenho dos zagueiros, mandando recados principalmente para Scheidt, que mostrava dificuldade em sair jogando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.