Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Corinthians já pensa em renovar com Tite

Enquanto o presidente Alberto Dualib tenta como um desesperado a efetivação cada vez mais difícil da parceria com a MSI, o Corinthians já vive 2005. Sem o dinheiro de russos envolvidos com a máfia chechena. Com a seu débil balanço financeiro, a diretoria já decidiu e trabalha para a renovação de contrato do técnico Tite e toda a sua comissão técnica. "O Tite está fazendo um excelente trabalho e decidimos que não iremos abrir mão dele em 2005. Ele irá continuar. Nós da diretoria chegamos à conclusão que é o treinador ideal para 2005. O Tite está sabendo e também quer ficar. Iniciando o trabalho na pré-temporada, formará o time da maneira que achar melhor e com os jogadores que escolher. Estamos antecipando etapas", revela o vice-presidente Antônio Roque Citadini.Tite ganha R$ 60 mil mensais. Antes de assumir o Corinthians, viveu seu período de ostracismo ao ser mandado embora do São Caetano. Assumiu a equipe corintiana na zona do rebaixamento. Trabalhando sem grandes reforços, colocou o time na briga pela classificação para a Libertadores. Foi muito mais além que a própria diretoria esperava. O máximo que os dirigentes exigiam era uma colocação intermediária. Evitando que o time fosse rebaixado já estaria ótimo. "Meu trabalho no Corinthians deu certo porque os dirigentes acreditaram em mim. Confiaram na minha análise do elenco. Mesmo na hora mais difícil, que foi afastar os jogadores que não rendiam como eu precisava. Estar no Corinthians é uma honra para mim. Vamos ver o que o futuro reserva", diz Tite.Vários pontos pesaram para a decisão de Roque Citadini e do diretor de futebol, Paulo Angioni. Os dois analisaram a reação surpreendente do Corinthians no Brasileiro comparando com os péssimos trabalhos que Juninho Fonseca e, principalmente, Oswaldo de Oliveira, fizeram com praticamente o mesmo elenco.Peito - Eles se empolgaram com a coragem de Tite de afastar do clube o ídolo colombiano Rincón. E notaram a boa vontade que teve de trabalhar com os vários juniores do próprio clube."Tite se mostrou um técnico com coragem e talento. Assumiu o Corinthians em um momento problemático. Não saiu por aí reclamando e tratou de trabalhar. Era o que precisávamos: alguém com cabeça boa e capacidade de administrar a pressão que cerca o Corinthians", elogia Citadini.O treinador terá uma oferta de aumento de cerca de 65% nos seus salários para continuar no Parque São Jorge. Os dirigentes desejam que ele antecipe a renovação para que em pleno Brasileiro vislumbre o que fazer com o elenco em 2005. Planos para vida de rico, com o patrocínio da MSI, ou de pobre, com o acanhado orçamento corintiano.Tite não ouviu oficialmente a proposta para continuar. Mas, inteligente, já percebeu que o cerco querendo que fique em 2005 se estreita a cada dia. A amigos em Porto Alegre já deixou escapar que vai continuar no futebol paulista, no Corinthians. "Nós estamos só acertando a prorrogação de contrato de alguns meninos. Terminando, vamos fechar com o Tite", antecipa, orgulhoso, Citadini.

Agencia Estado,

01 de outubro de 2004 | 09h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.