Corinthians joga mal e perde para o Tigres por 2 a 0

O Corinthians conseguiu se complicar em um jogo fácil e foi derrotado pelo Tigres por 2 a 0, pela Copa Libertadores. Vários erros tornaram ainda mais vulnerável o cargo do técnico Antônio Lopes, que, se chegar até lá, terá de vencer de qualquer jeito o São Paulo no domingo, pelo Paulistão. Nesta quinta, Marcelo Mattos foi expulso após uma falta desnecessária, Tevez saiu machucado e o time se deixou envolver por um adversário bem mais fraco que ele.Lopes não quis se arriscar em um jogo que poderia lhe custar caro e errou. Entrou com três zagueiros em campo, improvisou Marcelo Mattos do lado direito e o time perdeu rendimento com as mudanças. Em seis minutos, o Corinthians já havia chegado duas vezes com perigo ao gol, com Tevez e Nilmar. Parecia questão de tempo para o time brasileiro abrir o placar. Só parecia. O tempo passou, o gol não saía e a equipe esfriava em campo. Para piorar, a defesa, mesmo com três zagueiros, dava sustos. Em uma bola levantada na área, Marcus Vinícius deixou De Nigris sozinho e o atacante cabeceou para fora - sorte momentânea do Corinthians.O adversário mexicano não botava medo, faltava era melhor armação das jogadas por parte do Corinthians. Ricardinho e Roger (substituído no intervalo por Carlos Alberto) estavam muito recuados. Marcelo Mattos não só havia caído de produção como prejudicou de vez o time logo no início da segunda etapa. Deu um carrinho desnecessário e foi expulso. Três minutos depois, Martínez chutou mal, a bola desviou em Wendel e o Tigres fez 1 a 0.O Corinthians mostrou nervosismo após tomar o gol. Uma seqüência de erros aos 14 minutos. Herrera saiu mal do gol, a bola sobrou para Morales, que tocou por cima do goleiro. Marcus Vinícius tirou em cima da linha e Betão, logo depois, derrubou um adversário na área: pênalti não marcado.Onde estava a experiência de Ricardinho, Mascherano e Tevez (que deixou o campo machucado)? O time se deixou envolver e não reagiu, e logo em uma partida da Libertadores. Os anfitriões tinham o controle do jogo e mereceram o segundo gol, aos 43, com Peralta, livre na área.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.