JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Corinthians joga sua honra em Itu

Em crise diante dos resultados ruins, Alvinegro recebe o Criciúma com obrigação de vencer

Fábio Hecico, O Estado de S. Paulo

19 de outubro de 2013 | 07h38

SÃO PAULO - Foram várias rodadas jogando para não perder, como diante de Cruzeiro, São Paulo e Grêmio. Neste sábado, contra o Criciúma, o Corinthians muda a postura e promete ir para cima em busca da vitória que serviria para amenizar a crise. Os 11 escalados por Tite entram em campo pressionados a atuar bem. Além de defenderem sua honra, tentam provar que têm condições de permanecer para 2014. Após péssima campanha neste segundo semestre, a diretoria resolveu enquadrar os jogadores. Para os dirigentes, muitos se acomodaram e se esqueceram de jogar pela equipe. O Corinthians que iniciou entre os favoritos ao título agora briga contra o rebaixamento e uma reestruturação já anda a passos largos.

 

Sonhando com a permanência de Tite no próximo ano, a direção do clube negocia com atacantes capazes de não deixar o time quatro rodadas sem anotar gols - são apenas três marcados nos últimos 13 jogos. E, para mexer com o brio do atual elenco, resolveu expor o trabalho para pressionar ainda mais."Esse time tem de reagir, ele tem condições de jogar mais no campeonato", afirma o diretor de futebol Roberto de Andrade. "Temos confiança na volta do bom futebol e já estamos trabalhando na busca por reforços para 2014." O presidente Mário Gobbi anda indignado com a postura apática de alguns atletas e lembra que o fato de terem participado de grandes conquistas não significa que possam se acomodar.

 

Alexandre Pato volta ao time pressionado. Contratado por R$ 40 milhões, ele entra em campo sob desconfiança da torcida. Apesar dos 15 gols no ano, a estrela da trupe ainda não mostrou um futebol capaz de justificar tamanho investimento. Renato Augusto, que deve atuar por 45 minutos ma partida, é outro que precisa mostrar serviço.

 

Os mais experientes, casos de Alessandro, Fábio Santos, Paulo André, Danilo (perdeu a posição para Douglas) e Emerson (levou um jogo de suspensão por tapa em Ferdinando, da Lusa, e não joga) também estão com a corda no pescoço. São cobrados para dar suporte aos jovens e, ao mesmo tempo, precisam dar resposta em campo.

 

"O problema é nosso, dos jogadores. Está na hora de jogarmos melhor e tirarmos o time desta situação", reconhece Alessandro. "Temos de ganhar neste sábado. Jogando bem, se impondo e saindo na frente no placar", prega Tite, ciente de que o adversário, apesar de estar na zona de rebaixamento, já complicou a vida de outros grandes, vencendo São Paulo, no Morumbi, e Grêmio, na Arena. Ganhar significa abrir oito pontos de um rival direto e ganhar um respiro na tabela. Tropeçar pelo quinto jogo seguido pode afundar o time e deixar a abalada harmonia com a torcida insustentável, algo que não ocorre há muito tempo.

 

CORINTHIANS X CRICIÚMA

 

CORINTHIANS - Cássio, Alessandro, Gil, Paulo André, Fábio Santos, Ralf, Guilherme, Edenilson, Douglas, Romarinho, Alexandre Pato. Técnico: Tite

 

CRICIÚMA - Galatto, Sueliton, Matheus Ferraz, Fábio Ferreira, Marlon, Henik, João Vitor, Ricardo, Ivo, Lins, Marcel, Técnico: Argel Fucks

 

Árbitro: Anderson Daronco (RS). Local: Estádio Novelli Júnior, em Itu. Horário: 21h. Transmissão: Pay-per-view

 

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansTiteBrasileirãoCriciúma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.