Corinthians joga todas as fichas no clássico contra o Santos

A batalha agora é de ?cachorro grande?. Em sua busca por uma das vagas da próxima fase do Paulista, o Corinthians precisa superar o Santos na Vila, duelo desta quarta-feira, às 21h45. Se não tivesse perdido tantos pontos na disputa, o técnico Emerson Leão até que poderia não contar com o resultado do jogo. Mas conta. Há ainda a necessidade de a equipe ganhar um dos clássicos da competição, pois nos dois que já fez, apanhou feio - para o São Paulo, por 3 a 1, e para o Palmeiras, por 3 a 0.Os corintianos também buscam respeito na Vila. Sabem que se vencer, poderão ainda sonhar com a classificação no G-4 - ainda que a tarefa tenha sido bastante dificultada após o empate sem gols diante do Barueri, neste domingo.Leão está certo que será duelo sem favoritos. ?Sabemos que o Santos está em melhor fase, mas quando a bola rolar, haverá respeito com a gente. Sei também que nunca estivemos para dar espetáculo, sempre corremos atrás de resultados?, comentou o treinado na semana passada.Ele ressaltou ainda a condição humilde e simples de sua equipe, mesmo após a boa seqüência de vitórias contra Bragantino, Treze e Noroeste. A derrapada contra o Barueri no domingo não estava nos planos. Atrapalhou. ?Mas o ciclo de humildade continua no Parque.?Pode ser um blefe. Os corintianos sabem que é hora de arriscar. O próprio Leão deixou escapar recentemente que seu time tem um único objetivo agora: ?Ganhar, a nossa finalidade é só ganhar.?É certo, portanto, que o Corinthians terá postura diferente da que teve contra São Paulo e Palmeiras. Pode-se dizer que o time amadureceu e aprendeu com as surras dos clássicos anteriores.Contra o São Paulo, embalado por uma goleada sobre o Rio Claro, a equipe achou que poderia atropelar o adversário. Muricy Ramalho, porém, fechou as saídas de bolas dos alas Rosinei e Elton e mandou seu time para cima dos zagueiros corintianos. Deu certo. Houve, diga-se, erros individuais, como o de Marquinhos - que resultou em pênalti e gol. Contra o Palmeiras, o baile foi visível. O Corinthians jogou com medo. Leão escalou três volantes. Os laterais ficaram atrás e o meio não funcionou. Na Vila será diferente. ?O São Bento foi lá e ganhou. Nós temos condições de ganhar também. E não seria zebra?, disse Betão. ?É possível sim?, completou Jean.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.