Corinthians: Leão parece não ter pressa de utilizar Nilmar

A falta de pressa de Leão para escalar Nilmar está esclarecida. O técnico não quer o Corinthians dependente do jogador, que irá embora no máximo em junho. Não está descartada nem a chance de um rompimento a qualquer momento tantos são os problemas jurídicos envolvendo o atacante."Nós estamos contratando jogadores que atuam na frente para compensar a saída do Nilmar. Como não sabemos quanto tempo ele vai ficar precisamos de goleadores", disse o empresário Renato Duprat, justificando a contratação de Jean."Fiquei sem o Nilmar e mesmo assim o nosso ataque funcionou muito bem. Lógico que ele é um grande jogador. Mas só vai entrar em campo quando tiver condições físicas. Antes, não. Por isso só voltará a treinar com bola na próxima semana. E não sei quando jogará. Vamos ver", afirmou Leão, fazendo o máximo para valorizar os vários atacantes que possui no elenco - Jean, Amoroso, Christian, Jaílson, Wilson, Arce e Daniel Grando.Nilmar disse na segunda-feira que se sente pronto para jogar. Leão se apressou em dizer que quem o liberaria seriam os médicos - só depois ele, o treinador.O mais provável é que Nilmar fique treinando até o dia 11, quando o Corinthians enfrentará o São Paulo. O clássico é a data ideal para o retorno do atacante, que não joga desde julho de 2006, quando rompeu os ligamentos cruzados do joelho direito. "Ele sofreu uma operação delicada. Vamos com calma", insiste o técnico corintiano.Zé Roberto na miraO Corinthians precisa de laterais e zagueiros, mas está para fechar a contratação de um meia. O empresário Renato Duprat negociava na terça a compra de Zé Roberto, do Botafogo. Oferecia o zagueiro Marquinhos e mais uma compensação financeira, que ainda estava sendo discutida. O jogador foi o destaque do futebol carioca de 2006.Dirigentes se enfrentam na posseUma confusão tomou conta na terça à noite no Parque São Jorge. Tudo porque, segundo o conselheiro Paulo Roberto do Santos, o presidente do clube, Alberto Dualib, recusava-se a dar posse aos cem conselheiros da oposição eleitos no último dia 14. A confusão estabelecida não teve resultado e a oposição prometeu dar o troco nas urnas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.