Corinthians leva 1 a 0 do Paulista; Ronaldo perde a linha e faz gesto obsceno

Alvinegro perde a quarta posição na tabela para a Portuguesa e agora terá de vencer o clássico diante do São Paulo; Fenômeno é vaiado pela torcida na saída do estádio

André Rigue, estadao.com.br

24 de março de 2010 | 23h41

 

SÃO PAULO - A crise ronda o Corinthians. Em péssima noite, o clube perdeu para o fraco Paulista de Jundiaí, em Barueri, por 1 a 0, pela 16.ª rodada do Campeonato Paulista. O resultado deixou o alvinegro com 26 pontos, fora do G-4 - foi ultrapassado pela Portuguesa, que chegou aos 28 pontos após derrotar o Mirassol fora de casa por 1 a 0. Para complicar ainda mais, Ronaldo foi vaiado e fez gestos obscenos para os torcedores na saída do estádio.

 

Veja também:

forum BATE-PRONTO - Ronaldo e a imagem até aqui

forum MEMÓRIA - O polêmico gesto

link Ronaldo assume erros, mas ainda confia na classificação

lista CORINTHIANS - As notícias do time

lista PAULISTÃO - Leia mais do torneio

tabela Classificação | lista Tabela

"Diante de tantos erros, o futebol não perdoa. Meus erros foram todos infantis. Errei todos os controles que normalmente acerto", afirmou Ronaldo, até então, tranquilo, na beira do campo. "Tenho costas largas, ninguém erra sozinho. Precisamos dar as mãos e seguir em frente. Ainda é possível [obter a vaga no Paulistão]. Sou forte, vou receber as críticas e absorver."

 

Para conquistar a classificação, o Corinthians agora terá de vencer o clássico deste domingo diante do São Paulo, no Pacaembu. O rival tricolor ocupa a terceira posição, com 30 pontos - perdeu para o Bragantino por 1 a 0 em Bragança nesta quarta-feira. Se não ganhar, a equipe do técnico Mano Menezes precisará de uma grande combinação de resultados para continuar viva.

 

No jogo desta quarta-feira, o Corinthians entrou com vários desfalques. Alessandro, Chicão, William, Danilo e Dentinho não atuaram. Ronaldo, em contrapartida, jogou no ataque ao lado de Jorge Henrique. Roberto Carlos foi confirmado na lateral-esquerda e o meio-campo contou com Tcheco e Morais.

 

 Corinthians0
Felipe; Moacir, Paulo André, Leandro Castán e Roberto Carlos    ; Ralf (Souza), Elias, Tcheco (Jucilei) e Morais (Iarley); Jorge Henrique     e Ronaldo
Técnico: Mano Menezes   
 Paulista1
Vinícius; Lucas (Davi Modesto    ), Márcio Santos, Eli Sabiá e Raphael Martinho; Baiano, Rai     (Samuel Xavier    ), Bruno Formigone e Barboza (William Rocha); Felipe Azevedo e Mazola
Técnico: Wagner Lopes
Gols: Mazola, aos 21 minutos do segundo tempo

Árbitro: Cleber Wellington Abade

Renda: R$ 205.640,50

Público: 6.514 pagantes

Estádio: Arena Barueri, em Barueri

O Corinthians, no entanto, teve problemas para acertar o último passe. A bola pouco chegou em Ronaldo. O melhor lance do primeiro tempo foi de bola parada, aos 37 minutos, quando Roberto Carlos quase marcou ao cobrar falta de longe e acertar o travessão. "Mudei a forma de bater para tentar surpreender o goleiro. Um pouquinho mais baixo e ela teria entrado", lamentou.

 

Ao longo da semana, Mano tentou afirmar que não tinha problemas de relacionamento com os jogadores e colocou o "desafeto" Iarley na vaga de Morais para tentar mudar o panorama do jogo no segundo tempo. O Corinthians, porém, não evoluiu. E para complicar, o treinador alvinegro ainda foi expulso por reclamar da arbitragem de Cleber Wellington Abade.

 

Fora de forma, Ronaldo desperdiçou gols que não costuma perder, e o Paulista agradeceu para construir a vitória aos 21 minutos da etapa final. Em chute da intermediária de Barboza, o goleiro Felipe falhou ao proporcionar o rebote. O atacante Mazola apareceu livre e completou para o fundo das redes.

 

Sem poder de reação, o Corinthians não foi capaz de conquistar o empate e assim sofreu sua segunda derrota seguida no Paulistão. Na saída do vestiário, Ronaldo ainda foi vaiado pelos torcedores. Protegido por policiais, o Fenômeno fez gestos obscenos e saiu sem dar maiores declarações - os próximos dias serão quentes no Parque São Jorge.

 

Atualizado às 2h01 para acréscimo de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.