Divulgação
Divulgação

Corinthians leva gol no fim, empata e vê Atlético-MG desgarrar

Time vencia até os 46 do 2º tempo e foi castigado pela covardia

ROBSON MORELLI, O Estado de S. Paulo

26 de julho de 2015 | 18h37

O Corinthians tem muito a lamentar no Couto Pereira, onde deixou mais uma vitória lhe escapar na soma dos pontos no Brasileiro ao sofrer gol de empate no minuto 46 do segundo tempo, quando tinha a vitória quase assegurada dada a fragilidade do rival. O empate do Coritiba por 1 a 1 foi resultado da covardia do time e de seu treinador, que preferiu acreditar no placar parcial de 1 a 0 até bem perto do fim, reforçando o setor de marcação.

Se ganhasse, grudaria no líder Atlético-MG. O ponto somado, no entanto, o mantém em segundo lugar na classificação geral, com 30 pontos, dois atrás da equipe de Minas Gerais, que voltou a desgarrar no topo ao bater o Figueirense por 1 a 0, na noite do último sábado.

O Corinthians jogou mal os dois tempos, e esperou feito um pescador em sua canoa uma bola para fisgar o rival e abrir a contagem. Mesmo assim, essa jogada nem foi tão tramada assim, em velocidade, num contra-ataque como costumam acontecer os gols do time de Tite. A jogada do gol foi de simples escanteio.

O zagueiro Felipe estava atrás da marca do pênalti quando cabeceou para o gol. A bola teve sua trajetória mudada depois que João Paulo esticou o pé para mandar de calcanhar para trás. Esse foi o problema do Coritiba na partida em casa. Ameaçado na zona de rebaixamento, as pernas dos jogadores pesavam a cada passe e jogada.

Existia uma preocupação de errar estampada em cada bola passada no meio de campo. O Coritiba não ganha desde a 9ª rodada do Nacional e segue em penúltimo lugar, agora com apenas dez pontos.

O time até que ficou com a bola, mas não sabia o que fazer com ela na maioria das vezes, e esse medo de errar era visível, talvez ressaltado pelo técnico Ney Franco na preleção. O Coritiba não podia perder. Além do calcanhar ''inimigo'' de João Paulo, duas outras jogadas fizeram o torcedor respirar mais fundo, de pavor. A primeira delas foi em bola mal atrasada por Alan Santos, entregue nos pés de Elias, que só foi parado com falta. A outra ocorreu numa saída por cima do goleiro Wilson na bola erguida da direita que atravessou sua área. Por pouco, bem pouco mesmo, Love não faz de cabeça.

A fragilidade do Coritiba e seus erros individuais, no entanto, não justificam a moleza do Corinthians em atacar. Até os 12 minutos de bola rolando, o time paulista não tinha chegado na área adversária. Para quem durante a semana alardeou com uma forma mais ofensiva de jogar, não foi isso o que se viu no time de Tite.

Foi, na verdade, o contrário, salvo um boa cabeçada de Edu Dracena para também boa defesa do goleiro Wilson. O Corinthians esteve bem longe de mostrar maior poder de fogo. Embolado e misturado com o adversário, o perde-e-ganha no meio de campo caracterizou a disputa, com raras jogadas de qualidade. Raríssimas. Love e Malcom estiveram abaixo do que podem render, assim como Elias e Renato Augusto. Nem mesmo Jadson, que vinha carregando a equipe antes de pagar punição, deu o ar de sua graça.

O Coritiba martelava, ora acertando o prego, ora a madeira. A maioria de suas jogadas terminava em impedimento. Foram dez ao todo, contra um do rival. Ney Franco sempre pediu para o time atacar, diferentemente de Tite, que escalou Ralf no fim para segurar a vitória parcial. Negueba e Esquerdinha foram quem mais tentaram, ambos pela direita. E foi por esse lado que saiu o gol de empate, de Leandro, aos 46 do 2º tempo. Um castigo para Tite e seus comandados. Um alívio para o Coritiba.

FICHA TÉCNICA

CORITIBA 1 X 1 CORINTHIANS

CORITIBA: Wilson, Norberto , Luccas Claro, Leandro Silva (Evandro) e Juninho; João Paulo, Alan Santos (Negueba), Thiago Galhardo (Rodolfo) e Esquerdinha; Marcos Aurélio e Rafhael Lucas. Técnico: Ney Franco.

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Edu Dracena e Uendel; Bruno Henrique; Jadson, Elias, Renato Augusto (Ralf) e Malcom (Rildo); Vagner Love (Danilo). Técnico: Tite.

GOLS - Felipe, aos 40 minutos do primeiro tempo; Evandro, aos 46 do segundo.

ÁRBITRO - Pablo dos Santos Alves (PB).

CARTÕES AMARELOS - Leandro Silva, Evandro, Raphael Lucas (Coritiba); Cássio e Ralf (Corinthians).

PÚBLICO E RENDA - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.