Corinthians luta para Marcinho ficar

O reempréstimo de Marcinho ao Corinthians para o ano que vem está condicionado à prorrogação do contrato do jogador com o Paulista de Jundiaí. A informação é do presidente do Paulista, Eduardo Palhares, que deve se reunir nesta quarta-feira com Antônio Roque Citadini, vice-presidente de Futebol do Corinthians, para tratar do assunto."Queremos que o Marcinho fique no Parque São Jorge em 2003, por empréstimo. Mas isso só será possível se o jogador prorrogar o seu contrato que vence no ano que vem com o Paulista até 2004. Poderíamos estabelecer uma cláusula no acordo entre os clubes pelo qual o Corinthians teria direito a receber parte do dinheiro de uma possível negociação do meia para algum clube do Exterior nos próximos meses."Citadini esteve nesta terça-feira no Rio de Janeiro participando da reunião que definiu a fórmula do próximo Campeonato Brasileiro. Mas Edvar Simões, gerente de Futebol do Corinthians, garantiu que o clube está interessado em manter Marcinho. "Conversamos com ele no domingo à noite e acredito que até o final da semana deve haver uma definição."No entanto, os dirigentes certamente terão de rever as bases salariais do jogador. "O Marcinho veio de uma equipe menor para ser testado no Corinthians, mas mostrou que tem condições de disputar uma posição no time titular. Vive agora uma outra realidade, é natural que receba um reajuste", assegurou seu procurador, Luiz Leo.Situação indefinida vive o atacante Fernando Baiano. Dispensado pelo Internacional de Porto Alegre, ainda tem os direitos federativos presos ao Corinthians, mas não sabe se faz parte dos planos do treinador Carlos Alberto Parreira para 2003. "Acho que se eles não me querem mais deveriam me ligar e avisar logo", comentou, referindo-se aos dirigentes corintianos. "Preciso ter uma noção do que fazer porque a temporada vai começar logo, em janeiro."O jogador não esconde o desejo de retornar ao Corinthians, de onde saiu em 2001 por decisão do treinador Vanderlei Luxemburgo. "Gostaria de disputar a Copa Libertadores da América", afirma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.