Corinthians: Mascherano fica até 2007

Uma reunião nesta quinta-feira à tarde salvou aquele que seria o primeiro reflexo grave da crise entre Corinthians e MSI: o fim do vínculo entre Mascherano e o time do Parque São Jorge. O volante tinha 90 dias para atuar pelo Corinthians graças aos termos do Tratado de São Borja, que regulamenta o trabalho de argentinos no Brasil e vice-versa. Mas uma reviravolta jurídica garantiu o jogador ? recupera-se de cirurgia no pé esquerdo ? até 2007 no Parque São Jorge.Kia Joorabchian, presidente da MSI, parceira do Corinthians, exigia um contrato apenas até janeiro de 2006. O advogado Heraldo Panhoca, autorizado pelo presidente do clube, Alberto Dualib, exigia a confirmação do compromisso enquanto durasse o visto de permanência do atleta no Brasil ? dois anos.Houve várias reuniões e quando Kia estava prestes a aceitar a proposta do Atlético de Madrid para que o volante jogasse na Espanha em 2006, Panhoca conseguiu uma avaliação da CBF confirmando que o visto vale como contrato de trabalho. Ou seja: Mascherano só sai do clube antes de 2007 se a direção do Corinthians quiser.Ele poderia jogar pelo Tratado de São Borja até 6 de outubro. Mas há advogados da MSI que prometem trabalhar para recorrer e provar que Mascherano pode sair ao final dos 90 dias do contrato assinado com o Corinthians.A vingança de Kia Joorabchian pode atingir um dos jogadores mais desejados da história do Corinthians: o atacante Vágner Love. O iraniano tem um documento assinado pela diretoria do CSKA confirmando a prioridade à MSI para a compra do jogador até dezembro. A prioridade não é do Corinthians, mas sim do fundo de investimento. Se houver rompimento, Kia pode levar Vágner Love para o clube que considerar mais lucrativo.Isso não desvincularia a negociação de Jô com o CSKA. Ela é considerada fechada pela diretoria do Corinthians. Os russos examinaram o atacante durante esta semana e chegaram à conclusão que sua recuperação ? fratura no tornozelo direito ? será rápida e deverão pagar 4 milhões de euros pelo jogador. A quantia será descontada se a MSI contratar Vágner Love em dezembro e repassá-lo ao Corinthians. Mas há sérias dúvidas se a parceria será mantida.A relação entre Kia e Dualib nunca esteve tão ruim. O iraniano decidiu que não participará diretamente das eleições do Corinthians, marcadas para a primeira quinzena de fevereiro. Mas deverá apoiar qualquer candidato que decida enfrentar Alberto Dualib que pretende nova reeleição ? dirige o clube desde 1993. Segundo o estatuto do clube, nas próximas eleições 370 conselheiros vão votar, dos quais 183 são vitalícios.O presidente corintiano tratou de avisar seus conselheiros mais fiéis que chegaria na madrugada desta sexta da Alemanha. O dirigente, ao lado do empresário Renato Duprat, peregrinou entre Inglaterra, Israel e Alemanha. Dualib visitou investidores da MSI. Tentou de todas as maneiras desestabilizar Kia, alegando péssima administração do dinheiro do fundo de investimento. Há dúvidas se foi levado a sério.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.