Ayrton Vignola/AE - 03/12/2011
Ayrton Vignola/AE - 03/12/2011

Corinthians mostra preocupação com imagem de Adriano

Presidente Roberto Andrade afirma que episódio de tiro acidental não deve abalar imagem do Corinthians

AE, Agência Estado

26 de dezembro de 2011 | 16h14

SÃO PAULO - O presidente em exercício do Corinthians, Roberto Andrade, mostrou preocupação nesta segunda-feira com a imagem de Adriano por conta do tiro que atingiu a mão de uma jovem dentro do carro do atacante, sábado, no Rio. O dirigente, contudo, negou que o episódio possa prejudicar o clube.

"O ocorrido não teve nada a ver com o clube. Aconteceu fora do Corinthians. Ele estava de férias. A imagem do clube poderia ficar um pouco mais abalada caso isso tivesse acontecido durante a temporada, em um dia normal ou mesmo se ele estivesse de folga. Como ele estava de férias, a responsabilidade é 100% dele. Não acho como o clube vai perder alguma coisa com isso", afirmou o dirigente, em entrevista à rádio Jovem Pan.

Para o presidente, o episódio foi uma fatalidade. "Vamos partir do princípio que isso é uma fatalidade. Lógico que o Adriano tem um histórico de ''aborrecimentos'', digamos assim, com envolvimento com coisas não muito sadias. Mas ele estava de férias e não vamos misturar as coisas".

Andrade afirmou que o acontecimento não deverá influir na eventual renovação de contrato do atleta. "Esses acontecimentos geram fatos negativos para a carreira dele. Nunca é agradável ter seu nome ligado às páginas policiais, tendo culpa ou não. A imagem dele vai ficar riscada. Mas ele tem mais seis meses de contrato e iremos fazer uma avaliação como atleta e aí iremos analisar se vale a pena renovar ou não", ponderou.

O dirigente reforçou que a permanência de Adriano no Corinthians após junho de 2012, quando se encerra o atual vínculo, vai depender do desempenho do atacante dentro de campo. "O Corinthians tem 600 funcionários e não podemos fiscalizar todos. Mas o Adriano sabe o que faz fora do campo de jogo. Temos que nos preocupar com o atleta, com seu aspecto físico".

"Ficou difícil de analisá-lo porque ele teve contusões, jogou pouco tempo. Sempre dissemos que o grande teste seria neste primeiro semestre, quando iniciará a pré-temporada conosco e se condicionará junto conosco. Vamos aguardar", afirmou o presidente.

Adriano voltou aos holofotes por motivos extracampo no sábado quando a jovem Adriene Cyrilo Pinto, de 20 anos, foi baleada dentro do seu carro. O tiro causou uma fratura exposta na mão esquerda da jovem, que passará por cirurgia de reconstrução na terça. A polícia investiga quem foi o autor do disparo acidental. Há choque de versões entre as testemunhas, que apontaram Adriano e a própria vítima como responsáveis pelo tiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.