Corinthians: motivação é a rivalidade

A rivalidade entre Brasil e Argentina é a única motivação do Corinthians para o duelo das 21h45, diante do River Plate, pela Copa Sul-Americana, no Morumbi ? a TV Globo transmite. ?Ganhar de argentino é mais gostoso?, afirma o atacante Bobô. ?Contra argentinos é diferente e gosto de ganhar todas?, afirma Márcio Bittencourt, que escalará um ?time diferente?? daquele que vem jogando. Isso porque diz não ter reservas. Dos atletas que vêm jogando regularmente, apenas o goleiro Marcelo, o zagueiro Sebá e o meia Rosinei, improvisado na ala-esquerda, atuam. Carlos Alberto ganha chance no ataque e o zagueiro Wescley começa, pela primeira vez, como titular.Nem quem ganha chance de mostrar serviço, parece concentrado. Que o diga o meia Hugo. ?Vamos entrar com empenho para conseguir a vitória, mas esta competição não é tão importante para nós?, esnoba.O desinteresse pela Copa Sul-Americana é perceptível na venda antecipada de ingressos: apenas 3 mil. Mesmo com o time podendo chegar a 100 gols anotados no ano (já fez 99), ninguém comenta sobre a partida. Só pensam, e falam, do Brasileiro. ?Muitos jogadores estão desgastados e, no domingo, temos importantíssimo duelo contra o Figueirense?, diz Márcio.Como forma de prestigiar o técnico, a diretoria contratou o auxiliar-técnico Ademar Braga, indicação de Carlos Alberto Torres, amigo de Márcio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.