Rodrigo Coca/Ag Corinthians
Rodrigo Coca/Ag Corinthians
Imagem Robson Morelli
Colunista
Robson Morelli
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Corinthians muda sua posição na prateleira e passa a ser olhado com respeito após bater o Santos

Vítor Pereira faz bom trabalho no Parque São Jorge, tem o vestiário nas mãos e convenceu o elenco da necessidade de misturar veteranos com os mais jovens: vitória de 4 a 0 muda patamar da equipe

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2022 | 12h29

É preciso começar a olhar o Corinthians de forma diferente. Esqueça aquele time que ninguém dava nada e que teria dificuldades na temporada para se impor fisicamente diante de seus adversários no Brasil. A goleada sobre o Santos por 4 a 0 na partida de ida da Copa do Brasil, em Itaquera, vai servir como um divisor de águas para a equipe comandada por Vítor Pereira, que sempre foi apontado nesse espaço como um treinador capaz de fazer bom trabalho, como tem feito. 

O Corinthians vem deixando de ser o time dos veteranos e se tornando o time dos jovens e dos veteranos, uma mescla interessante no futebol e na vida. Vítor Pereira percebeu cedo a necessidade dessa transformação, mesmo tendo de deixar jogadores consagrados acima dos 30 anos no banco de reservas. Trabalhou seu vestiário como cuidado e respeito, de modo a fazer com que os próprios trintões entendessem a situação.

Giuliano, que amargou o banco muitas vezes, mas que diante do Santos marcou dois gols, comentou um dia desses que era importante todos entenderem a impossibilidade de atuar em todas as partidas do ano, que era preciso respeitar as condições físicas de cada atleta em meio ao calendário pesado do futebol brasileiro.

Quando um reserva faz esse tipo de declaração, é porque o vestiário está dominado pelo treinador. Méritos para Vítor Pereira e sua comissão e também para os jogadores, que compreenderam a necessidade do time e não deixaram que seus egos falassem mais alto. Egos de jogadores consagrados. O Corinthians continua tendo uma série de problemas, financeiros e de elenco com prazo de validade, mas é melhor hoje do que era ontem e assim tem se colocado em evidência.

Por exemplo, deu passo importante para as quartas de final da Copa do Brasil, e é vice-líder do Brasileirão. Não é pouco para um elenco que foi condenado no começo da temporada e de quem não se esperava nada. Isso é mérito do futebol, das pessoas do futebol, do amadurecimento de um time que tenta nadar contra a corrente, mesmo com tantos percalços, como a demissão de Jô após balada e boa dose de irresponsabilidade.

O time é pobre ainda, não há muitas margens de manobra, mas Vítor Pereira tem conseguido fazer desse Corinthians, que acaba no fim do ano, uma equipe bastante competitiva. Isso ganha jogos. Não se se ganha campeonatos. A vitória contra o Santos vai mudar sua posição na prateleira do futebol brasileiro, com alguns méritos, mesmo com toda a fragilidade do rival da Baixada. Era clássico. O Corinthians precisa ser mais respeitado a partir de agora.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.