Corinthians: muros pichados pedem saída de Acosta e Lulinha

Responsáveis pelo problema ainda sugerem que a conquista da Copa do Brasil é obrigação para o time

Agência Estado

11 de abril de 2008 | 13h07

Os muros do Parque São Jorge amanheceram pichados nesta sexta-feira. Desta vez, a torcida do Corinthians pediu a saída dos jogadores Lulinha e Acosta, além de cobrar a conquista do título da Copa do Brasil. "Fora Lulinha", "Fora Acosta" e "A Copa do Brasil é obrigação" foram as frases de protesto dos corintianos.Veja também: Corinthians confirma R$ 100 milhões de dívidas em balançoO atacante uruguaio Acosta, vice-artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2007 com o Náutico, veio para o Corinthians como principal esperanças de gols da equipe, mas ele vem decepcionando, com apenas 3 gols na temporada. Já Lulinha, que fez 18 anos na quinta-feira, estreou na equipe principal do Corinthians como grande promessa e ainda não correspondeu às expectativas.Essa foi a quarta pichação na sede do Corinthians somente neste ano. As duas primeiras foram sobre o uniforme roxo. Logo em seguida, uma pichação assinada por uma torcida uniformizada do Santos ironizou a dependência do Corinthians por um resultado positivo da equipe santista no Paulistão. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.