Corinthians não consegue pagar prêmio

Depois de perder a invencibilidade na Copa Libertadores da América, quarta-feira, para o Cruz Azul, na Cidade do México (3 a 0), o Corinthians deve enfrentar um sério problema administrativo: informar aos jogadores quando será pago o prêmio de R$ 25 mil pela conquista do Campeonato Paulista. Por enquanto, a questão está longe de se transformar numa crise, mas já há no grupo quem se preocupe com o atraso.O problema se agravou depois que a FPF revelou que o Corinthians lhe deve R$ 1,9 milhão e que, por essa razão, a entidade presidida por Eduardo José Farah não vai pagar a premiação de R$ 600 mil pela conquista do título, além da última parcela de R$ 500 mil referente aos direitos de transmissão da competição.Como o Corinthians ainda deve à CBF, e as cotas de parcerias com a Nike, a Kolumbus e a Pepsi já foram pagas, os dirigentes não sabem onde conseguir dinheiro. Contatado por telefone no México, nesta quinta-feira, o vice-presidente Antônio Roque Citadini não quis confirmar se o clube pegou mesmo dinheiro da FPF. "Quem pode falar sobre isso é só o ?seu? Alberto (Dualib) ou o Mello (Carlos Roberto Mello, vice-presidente financeiro)."O presidente Alberto Dualib e seu vice financeiro despacharam normalmente no clube, nesta quinta-feira, mas, como de hábito, quando o assunto não lhes interessa, ambos não foram localizados por nenhuma das três secretárias que trabalham na sede social do Parque São Jorge.Justificativas - Mais interessado na recuperação moral de sua equipe, o técnico Geninho disse que o Corinthians perdeu o jogo não por ter sentido, fisicamente, os efeitos da altitude. O que atrapalhou, segundo ele, foi a velocidade da bola no ar rarefeito dos 2.650 metros acima do nível do mar da capital mexicana. Outra queixa foi quanto ao gramado. "Como a bola viaja muito rapidamente na altitude, acabamos errando muitos passes e calculamos mal os cruzamentos." Quanto ao gramado, Geninho foi direto. "Nunca vi nada igual no Brasil. Parecia grama artificial ou material sintético. A bola corria ainda mais e os jogadores estranharam", salientou o técnico.Geninho, porém, ressaltou aspectos positivos na equipe. "Tomamos um gol no começo do jogo, mas conseguimos manter a calma e passamos a dominar. Infelizmente, não aproveitamos as oportunidades. Quando estávamos bem no jogo, levamos o segundo gol. Com 2 a 0, jogando em casa, ficou fácil para o Cruz Azul administrar a vantagem."Apesar da derrota por 3 a 0, o Corinthians só depende de um empate para se classificar. A meta, porém, é vencer o Fênix do Uruguai, quarta-feira à noite, no Pacaembu, e assegurar o primeiro lugar no grupo 8 da Libertadores. "Na prática, esse revés não altera os nossos planos nem mexe com as nossas chances", acrescentou Geninho.Com relação a reforços, Citadini confirmou que o clube deve mesmo anunciar em breve a contratação de um atacante para o lugar de Lucas, que se recupera de cirurgia. E, com referência ao Brasileiro, o jogo de estréia, contra o Atlético-MG, no Pacaembu, marcado para sábado, foi transferido para domingo, no Pacaembu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.