Corinthians não fala e treina com portas fechadas no Chile

O Corinthians faz segredo no Chile. A equipe realizou treinos com portas fechadas na preparação para o jogo desta quinta-feira, às 22h30, contra a Universidad Católica, pelo Grupo 4 da Libertadores, e apenas um jogador falou à imprensa: o goleiro Johnny Herrera, que virou atração em seu país por atuar no futebol brasileiro. Ele deve ficar na reserva de Marcelo, embora tenha realizado boa partida contra a Ponte Preta, no último domingo, pelo Paulista.Enquanto o técnico Ademar Braga insiste em não confirmar a entrada de Carlos Alberto no lugar de Roger, por considerar que o meio-de-campo ficará mais protegido, Herrera disse que o Corinthians será ofensivo na partida contra o líder da chave. "O Corinthians é, de longe, a maior equipe do Brasil, e por isso mesmo não vai jogar para empatar", disse Herrera, sem modéstia.Herrera destacou ainda o desejo da equipe de ser campeã do principal torneio sul-americano. "Eles nuncaconquistaram a Copa Libertadores, e se prepararam para isso na temporada", afirmou Herrera.O Corinthians precisa vencer para caminhar com mais tranqüilidade rumo às oitavas-de-final da Libertadores. Hoje, tem sete pontos, três a menos que a Universidad, e uma derrota o deixará na dependência de outros resultados.

Agencia Estado,

05 de abril de 2006 | 16h57

Tudo o que sabemos sobre:
libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.