Corinthians não terá mais reforços para o Campeonato Paulista

Presidente e gerente de Futebol negam chegada de Jancarlos; prazo para o Estadual encerra-se na sexta-feira

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

20 de fevereiro de 2008 | 14h36

O Corinthians não vai ter mais reforços para o Campeonato Paulista. A palavra é do gerente de Futebol Antônio Carlos e do presidente Andrés Sanchez, que negaram nesta quarta-feira, durante o lançamento das novas ações de marketing do clube, a chegada de jogadores até sexta-feira, quando terminam as inscrições para o Campeonato Paulista.Veja também: Com cartão bilhete único, Corinthians lança Fiel Torcedor Mano promete um Corinthians mais ousado contra a Lusa"Não terá mais nada até sexta-feira, é um prazo muito curto, e portanto vamos disputar o campeonato e brigar por títulos com o que temos aí", diz Antônio Carlos. Andrés Sanchez reforça o discurso e nega, inclusive, a possível vinda do lateral-direito Jancarlos, do Atlético Paranaense, que chegou a ser cogitada: "Não tem nada com ele, não o procuramos, nosso time está aí para disputar o Campeonato Paulista".Ambos garantem, porém, que novos jogadores devem chegar para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B e da Copa do Brasil. Tudo vai depender do mercado. Mas, que ninguém se iluda: dificilmente será um jogador de renome nacional ou até internacional. "Estamos com nossas finanças atreladas até maio e fazemos o que é possível. Não vamos cometer nenhuma loucura", fala Sanchez.OBSERVAÇÃO GERALJustamente para driblar essa dificuldade financeira, Antônio Carlos afirma estar observando muitos jogadores pelo Brasil. DVDs e jogos na televisão de campeonatos estaduais, além de algumas indicações, estão na pauta do dirigente. "Tenho visto bastante coisa, tem muitas ofertas, mas ainda nada no caminho, até porque precisamos ser criteriosos".Para esta temporada, o Corinthians contratou 15 jogadores, ou seja, um time titular e meio banco de reservas (que tem sete jogadores). Não há limite de quantidade de jogadores para inscrever nos torneios que disputa.DEFESAAinda na cerimônia, o presidente Andrés Sanchez tratou de defender o meia-atacante Acosta, que está na reserva pelas más atuações nos últimos jogos. "Estou satisfeito com ele e tenho certeza que é questão de adaptação. Ele ainda vai justificar o investimento", diz Sanchez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.