Corinthians nega relaxamento contra adversários frágeis

Corinthians nega relaxamento contra adversários frágeis

Goleiro Cássio afirma que equipe se dá melhor quando é atacada pelos adversários. "Os times jogam apenas por uma bola", reclama

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

14 de outubro de 2014 | 08h33

Em sexto lugar no Campeonato Brasileiro, o Corinthians mira a vaga na Copa Libertadores e sabe que para alcançar o objetivo vai precisar parar de tropeçar diante de equipes que estão na parte de baixo da tabela de classificação. O time não perdeu um jogo sequer para os quatro primeiros colocados atuais, embora tenha sido derrotado no último sábado pelo vice-lanterna, o Botafogo. Apesar disso, o goleiro Cássio descartou que exista uma diferença de motivação do grupo de acordo com a posição do adversário na tabela.

O jogador disse na segunda-feira que a grande dificuldade de enfrentar quem está nas últimas posições é a postura defensiva. "Os times jogam por apenas uma bola, como o Botafogo fez. Eles conseguiram um gol de pênalti em lance duvidoso, depois se fecharam e contaram com a boa atuação do goleiro", disse. A derrota freou o ânimo da equipe, que três dias antes havia vencido o líder Cruzeiro em pleno Mineirão.

"O nosso time não tem menos vontade de vencer de acordo com o adversário. A vontade é a mesma contra o líder ou o último colocado", explicou. Cássio admitiu a irregularidade, mas manifestou torcida para que ela continue pelo menos até o próximo domingo, quando o Corinthians enfrenta o vice-líder, o Internacional, no Beira-Rio. Em caso de vitória, o clube do Parque São Jorge pode até mesmo entrar no G4.

O goleiro também explicou que o Corinthians costuma ter mais sucesso nas partidas quando é atacado pelos adversários. Por isso, tem sofrido para bater equipes que estão nas últimas posições e conseguido resultados positivos diante de rivais que buscam a vitória para se manter nas primeiras posições da tabela de classificação.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansCássio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.