André Lessa/Estadão - Arquivo
André Lessa/Estadão - Arquivo

Corinthians obrigado a jogar bem

Após derrota para o Luverdense, time está pressionado: mais do que vencer o Vasco, hoje, é preciso voltar a jogar futebol de campeão do mundo

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2013 | 08h30

SÃO PAULO - O jogo contra o Vasco, às 16h, no novo Mané Garrincha, em Brasília, pode significar um divisor de águas para o Corinthians, ainda sob efeito da derrota para o Luverdense, pela Copa do Brasil.

Na sexta-feira, antes do primeiro treino após o fracasso em Mato Grosso, Tite reuniu o elenco no CT. Cobrou os jogadores por causa da atuação ruim, mas destacou a eles a classificação do time no G-4 no Campeonato Brasileiro – até o início desta rodada, a 16.ª.

 

"Acabou, só podemos reverter isso (derrota para o Luverdense) na quarta-feira, no jogo da volta. Temos agora outro jogo, o foco é outro campeonato. Nosso objetivo é obter a vaga na Libertadores e se for com título, melhor", disse Tite.

 

O técnico admitiu algumas falhas no time, que, segundo ele, passa por uma reestruturação. Tite disse que aceita as críticas, mas foi duro ao responder a uma pergunta de um jornalista se ele não vê certo relaxamento de alguns jogadores.

"Se estiver desmotivado, se não tiver tesão, está fora, dou chance a outro. Mas não vejo dessa forma, senão não tínhamos conquistado o Paulistão e a Recopa, e vibramos com essas conquistas."

 

Em meio a esse contexto de crise e instabilidade de uma equipe que está rendendo menos do se espera, jogar bem contra o Vasco é até mais importante que vencer, por mais incoerente que isso possa parecer.

O Corinthians foi mal nos últimos três jogos. No empate por 0 a 0 contra o Fluminense, na vitória por 1 a 0 diante do Coritiba, conquistada no último minuto com pênalti contestado e, claro, na derrota para por 1 a 0 para o Luverdense.

 

Em comum, o time apresentou problemas no setor de criação nesses três jogos. A pobreza técnica do meio de campo afetou o ataque, pouco efetivo mesmo com o retorno de Guerrero, que voltou a jogar ao lado de Alexandre Pato.

 

Ao perder Guilherme, por contusão, o meio de campo precisou de ajustes, segundo Tite. Ibson, o substituto, ainda não se encaixou no time. O treinador, contudo, já acena com uma mudança na concepção do time.

 

O Corinthians deve voltar a atuar com dois meias: Danilo e Douglas. E dois atacantes apenas, agora com Guerrero e Emerson. O polêmico jogador volta a ser titular mesmo após ser expulso de forma infantil diante do Luverdense e da polêmica do selinho em um amigo. que lhe valeu uma conversa com integrantes da torcida organizada na sexta-feira. Pato volta para o banco de reservas. Essa é uma formação que o time já adotou, mas que foi abandonada, em parte por causa da contusão de Renato Augusto.

 

Outra saída seria escalar Renato Augusto no lugar de Ibson, na tentativa de encontrar um "novo" Paulinho. "Na teoria posso fazer isso, mas na prática o momento é do Ibson, que precisa ter essa continuidade."

 

No mesmo dia em que Tite se reuniu com o elenco, vários jogadores pediram para treinar por mais tempo. Guerrero e Pato insistiram na série de chutes a gol por mais de meia hora. Depois, juntaram-se a eles Sheik e Romarinho, além de outros jogadores. Essa foi uma atitude que comprovou que um dos problemas do time é mesmo a falta de gols. Mas também revelou um comportamento que não combina em nada com jogadores desmotivados.

 

FICHA TÉCNICA:


CORINTHIANS -  Cássio; Edenílson, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Ibson, Danilo e Douglas; Emerson e Guerrero. Técnico: Tite

VASCO -  Diogo Silva; Fagner, Cris, Rafael Vaz e Yotúm; Abuda, Wendel, Juninho e Pedro Ken; Eder Luís e André. Técnico - Dorival Junior.

Árbitro - Heber Roberto Lopes (SC).

Horário - 16 horas.

Local - Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

TV - Globo e Band

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.