Corinthians paga mais para ter Rincón

Houve um reflexo imediato na Hicks Muse depois do ultimato que Wanderley Luxemburgo deu à Diretoria em relação a Rincón. A proposta de R$ 120 mil ao colombiano subiu para R$ 160 mil. O atleta se animou com o aumento, mas ainda não fechou o seu retorno ao clube. Luxemburgo quer o caso resolvido terça-feira, quando o time se reapresentar. O raciocíno do treinador é lógico. "Enquanto se fala em Rincón, se desvaloriza os jogadores que estão aqui. E se ele não vier? Como fica?", perguntava. Luxemburgo teve também de voltar atrás em suas declarações que deixavam clara a desistência do Campeonato Paulista, depois que o time empatou em 1 a 1 com o São Caetano, no sábado, mas foi derrotado nas penalidades. "Não quis dizer isso. Se afirmasse que já estávamos fora, os jogadores desistiriam de lutar e haveria uma acomodação. O Corinthians não abre mão de jeito nenhum do Paulista. Nossa situação é complicadíssima, mas os meus atletas têm a obrigação de lutar para se classificar. É o mínimo que exijo: luta." Os jogadores viajarão terça-feira para um período de 12 dias em Serra Negra. "Preciso me concentrar com o time para conhecer profundamente os atletas e saber como fazer para que busquem uma reação imediata. Nosso grupo precisa estar o mais unido possível nesta hora difícil", justifica Luxemburgo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.