Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo fazem limpa no elenco e se livram de jogadores encostados

Atletas que estão sem espaço nos quatro clubes buscam definir futuro para a sequência da temporada; empréstimo é o caminho mais comum

Pedro Ramos, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2022 | 10h00

Eles são jogadores do clube, treinam diariamente, recebem salários, mas estão fora dos planos da diretoria ou do treinador. Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo já negociaram 24 jogadores sem espaço em seus respectivos elencos, mas pelo menos outros seis deles ainda buscam definir o futuro na temporada.

Na atual janela de negociação, o Corinthians se livrou de jogadores que estavam fora dos planos do clube e encareciam sua folha de pagamento, como Janderson (Grêmio), Caetano (Goiás), Léo Santos, Fessin e Matheus Jesus (Ponte Preta), Vitinho (Vasco), André Luís e Marquinhos (Cuiabá), Matheus Alexandre (Coritiba), Everaldo (América-MG) e Rafael Bilu (Criciúma). O clube ainda vendeu Éderson, que estava emprestado ao Fortaleza, para o Salernitana, da Itália. Alguns são comprados, outros entregues sem custos, mas com acertos no pagamento mensal do salário.

Há jogadores que ainda buscam definir seu futuro. O atacante Jonathan Cafu chegou ao Parque São Jorge sem custos em novembro de 2020 e esteve emprestado em 2021 ao Cuiabá, ajudando a equipe a se manter na primeira divisão. Ele fez apenas três partidas com a camisa corintiana e não faz parte dos planos para 2022.

O goleiro Guilherme Castellani é outro sem espaço e que pode buscar novos ares. O Corinthians conta hoje com Cássio e Matheus Donelli, dois jogadores que já atuaram nesta temporada, além de Carlos Miguel. A diretoria também acertou no mês passado a contratação de Ivan, da Ponte Preta.

Danilo Avelar vive outra situação. O jogador era utilizado regularmente, mas em junho do ano passado publicou um comentário de teor racista em um jogo de game online. O caso ganhou repercussão (negativa) e torcedores pediram a rescisão contratual do atleta com o clube, que preferiu afastá-lo por ora.

O jogador tem recebido aulas sobre o combate ao racismo da pesquisadora Winnie Bueno e publicado conteúdos sobre o tema em suas redes sociais. Em novembro, Avelar divulgou uma exposição no Museu do Futebol, no Pacaembu, sobre a história do goleiro Barbosa, que sofreu com perseguição racista após falhar na final da Copa do Mundo de 1950. Ele esteve acompanhado do diretor executivo do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, Marcelo Carvalho, e também de Winnie. 

No Dia da Consciência Negra, publicou mensagem dizendo que está tentando mudar seu comportamento sobre o tema. "Não é mimimi. É real. E vejo isso a cada aula, nas conversas com pessoas engajadas na causa antirracista, nas visitas e nas outras ações que estou me envolvendo. O racismo estrutural no Brasil é um problema muito grave e a gente precisa fazer algo para resolver. Inclusive no futebol! Ficar calado não resolve e não ajuda. Podemos conversar, podemos discutir ideias, podemos mudar. E eu estou tentando. É minha obrigação como homem branco privilegiado, sei que é o mínimo, mas juntos podemos mais! A data de hoje tem uma história de luta e tem um significado maior que imaginamos", disse Avelar, que chegou a negociar com Cruzeiro e Ceará, mas não houve acordo entre as partes.

O Palmeiras não conta com jogadores encostados em seu elenco. Quem estava mal com a torcida e sem ambiente para seguir no clube era o atacante Luiz Adriano, que acertou sua rescisão neste ano. O clube também emprestou Lucas Lima ao Fortaleza; Matheus Fernandes, ao Athletico-PR; Victor Luís, ao Ceará; Alanzinho, ao Sport, além de Papagaio, ao Ituano.

A diretoria do Santos rescindiu os contratos de Jandrei, Cleber Reis, Lucas Venuto e Rodrigão, além de ter emprestado Raniel ao Vasco. Anderson Ceará e Matheus Moraes foram para o Maringá. E Felippe Cardoso se juntou ao grupo do Vegalta Sendai, do Japão. Já Ivonei, Luiz Henrique e Robson Reis ainda brigam por espaço no clube. Suas situações não estão definidas. 

O clube da Vila ainda tem alguns jogadores sem espaço. Anunciado em agosto do ano passado, o meia Augusto Galvan chegou ao Santos por empréstimo junto ao Real Madrid. O jovem de 22 anos foi revelado pelo São Paulo e assinou contrato até junho deste ano, mas só fez quatro jogos com a equipe sub-23 na Copa Paulista. Sem agradar, o jogador não foi sequer inscrito no Paulistão.

O lateral-direito Daniel Guedes está fora dos planos. Ele tem contrato até junho deste ano, mas não acertou sua renovação. A diretoria santista contratou Auro, ex-São Paulo, para a posição, e ainda conta com Madson, entregue ao departamento médico com uma lesão muscular. O jovem Sandro, que disputou a Copinha deste ano, é outro que procura lugar para jogar.

Limpa

O São Paulo fez uma limpa no elenco para a atual temporada e não tem jogadores encostados. Da lista de atletas sem espaço, a diretoria acertou o empréstimo do goleiro Lucas Perri ao Náutico, além de ter negociado as saídas do meia Vitor Bueno e do atacante Pablo, ambos com descrédito entre os torcedores. O técnico Rogério Ceni recebeu cinco reforços (Jandrei, Rafinha, Patrick, Alisson e Nikão) neste ano e pediu mais nomes para encorpar o elenco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.