Reprodução/Prefeitura de São Paulo
Reprodução/Prefeitura de São Paulo

Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Prefeitura combaterão violência contra a mulher

Prefeito Bruno Covas recebe os representantes dos clubes grandes de São Paulo, que aderiram ao programa 'Tem Saída', de auxílio a mulheres vítimas de agressões domésticas

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2019 | 17h23

A Prefeitura da cidade de São Paulo realizou nesta quinta-feira um acordo de cooperação entre os três clubes grandes da cidade para participação no combate à violência contra a mulher. A sede do município recebeu no início desta tarde um evento em que estiveram presentes os representantes de Corinthians, PalmeirasSão Paulo, com o anúncio oficial de que irão aderir e ampliar o programa 'Tem Saída', lançado em 2018 para amparar mulheres vítimas de agressões no ambiente familiar e residencial.

O prefeito da capital paulista, Bruno Covas, esteve ao lado dos presidentes Andrés Sánchez, do Corinthians, e Carlos Augusto Barros e Silva (Leco), do São Paulo, além de Paulo Roberto Buosi,prsidente em exercício do Palmeiras. Além deles, estiveram presentes a secretária municipal de desenvolvimento econômico, Aline Cardoso, e a secretária municipal de direitos humanos, Berenice Giannella.

Clubes e a prefeitura assinaram um acordo para trabalhar conjuntamente em prol da ampliação do 'Tem Saída'. O programa foi feito para ajudar mulheres vítimas de violência doméstica e familiar a se inserirem no mercado de trabalho, de forma que não precisem depender da ajuda de seus cônjuges para sobreviver. Criado em 2018, o programa visa dar autonomia financeira a mulheres por meio da geração de empregos. A ajuda se inicia no momento em que a denúncia contra o agressor é feita em uma das esferas judiciais (Ministério Público, Defensoria Pública, Poder Judiciário ou Delegacias). A partir dali, a mulher é direcionada ao Centro de Amparo ao Trabalhador (CAT), onde será cadastrada para concorrer a vagas de emprego que se adequem ao seu perfil.

Durante a manhã, Corinthians, Palmeiras, São Paulo e a Prefeitura publicaram uma mesma carta aberta aos seus torcedores, anunciando a adesão ao 'Tem Saída' junto à prefeitura e convocando os torcedores e convidando empresas a aderirem à causa. Já no evento, os representantes dos três times grandes da capital enalteceram a participação no programa.

Secretária de Desenvolvimento Econômico da capital, Aline Cardoso espera que a adesão dos três maiores clubes de São Paulo ao programa faça com que a mensagem de combate à violência contra a mulher seja difundida.

“A união de Corinthians, Palmeiras e São Paulo mostra a relevância desse tema para a sociedade. Com essa parceria, esperamos sensibilizar parte da sociedade nessa transformação cultural, encorajar mais pessoas a denunciarem seus agressores e dar uma nova perspectiva de vida a essas mulheres”, explica a secretária.

Berenice Giannella, secretária de Direitos Humanos, enaltece a presença dos clubes como forma de ampliar a divulgação das informações de auxílio às mulheres que estão em situação de recuperação após terem sofrido violências familiar ou doméstica.

"Esta parceria só pode trazer benefícios, já que uma das maiores dificuldades para as vítimas de violência doméstica é conseguir enxergar a possibilidade de romper este ciclo. Muitas mulheres passam anos sendo agredidas por medo de perderem os filhos, de não terem como se sustentar, e até mesmo por não conseguirem compreender que o relacionamento em que estão é abusivo", afirmou Berenice. "Mostrar que isso é errado, oferecer apoio e possibilidade de renda a essas mulheres são etapas primordiais: a partir do momento em que as vítimas entendem que podem e devem viver sem depender do agressor, o ciclo de violência começa a ser interrompido".

Carlos Augusto Barros e Silva, presidente são-paulino, destacou a congruência do 'Tem Saída' com um projeto institucional já feito pelo clube tricolor na mesma área, o "O SPFC se importa", também lançado em 2018.

"É importante usarmos essa gigantesca capacidade de mobilização que os clubes possuem na esfera esportiva para atuarmos também como agentes transformadores da sociedade. Além de colaborarmos efetivamente com o programa oferecendo vagas às mulheres vítimas de violência, esse movimento conjunto também nos permite chamar a atenção da sociedade para o tema. O engajamento em iniciativas como esta da Prefeitura de São Paulo é uma forma de alertarmos e enfrentarmos este problema com a atenção que ele merece", afirmou o mandatário tricolor, seguido também por Paulo Roberto Buosi, presidente em exercício do Palmeiras.

"O futebol é um grande agente de transformação social e o Palmeiras se sente na obrigação de participar das mudanças que visam melhorar a vida da nossa comunidade e dos nossos 16 milhões de torcedores. A violência contra a mulher é um problema intolerável e deve ser combatido com iniciativas do poder público, como o Tem Saída, e o apoio da sociedade civil. Temos orgulho em fazer parte deste movimento que ajudará as vítimas a encontrarem autonomia e dignidade", afirmou o vice de futebol, que representou o clube na ausência de Mauricio Galiotte.

Andrés Sanchez, por sua vez, deixou o evento antes do fim, enquanto o prefeito Bruno Covas falava. Antes, o cartola do Corinthians também ressaltou as iniciativas sociais que o clube alvinegro teve com campanhas publicitárias feitas nos últimos anos.

“O Corinthians é um dos clubes pioneiros na defesa intransigente da mulher e a reunião de diversas bandeiras em torno do tema demonstra que estávamos certos ao lançar a campanha #RespeitaAsMinas. É muito importante iniciativas do poder público, como o programa Tem Saída, que ajuda essa mulher vítima de violência a conquistar sua autonomia financeira e seguir em frente”, afirmou.

Confira abaixo a carta aberta dos clubes:

"Quem frequenta o estádio, mais do que ninguém, sabe que o futebol não é só um esporte. São as arquibancadas que unem pessoas de todas as classes sociais, escolaridades, origens e etnias. E é para essas mesmas arquibancadas que nós, Corinthians, Palmeiras e São Paulo, fazemos nosso apelo.

No Brasil, a cada 7 segundos uma mulher é agredida. A cada duas horas, uma mulher é assassinada. São corinthianas, palmeirenses e são-paulinas entrando para estatísticas que nos deixam na parte de cima de uma tabela que não queríamos estar: a quinta posição no ranking mundial de feminicídio. Uma posição inaceitável diante da qual precisamos nos posicionar e manifestar nosso repúdio.

Os três maiores clubes de São Paulo deixam suas diferenças de lado para que todas as mulheres, independente do time do coração, possam ser independentes financeiramente do seu agressor rompendo com o ciclo da violência. Por isso, oficialmente, os três clubes tornam-se colaboradores do programa Tem Saída, criado pela Prefeitura de São Paulo juntamente com o Ministério Público, Tribunal de Justiça, Defensoria Pública, OAB-SP e ONU Mulheres.

Esperamos que cada vez mais empresas sigam este exemplo e unam-se à causa. Que a nossa união traga esperança para as mulheres e as encoraje a denunciar seus agressores. E que nossos torcedores sigam respeitando suas companheiras, mães, filhas e amigas.

Porque todos nós sabemos que, quando acreditamos, conseguimos virar o jogo. Que o futebol, mais do que ser sobre vitórias, é sobre esperança. E que, quando damos as mãos e entoamos o mesmo grito, somos capazes de tudo.

O que precisamos agora é do apoio de nossas torcidas. Só com a força de vocês entraremos em campo com a certeza de que #TemSaída.

Para saber mais sobre o programa acesse o site www.prefeitura.sp.gov.br/desenvolvimento, ligue para o serviço telefônico da Prefeitura SP156 ou envie um e-mail para temsaida@prefeitura.sp.gov.br e acompanhe as nossas redes sociais".

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.