Corinthians pensa no jogo de quarta

O jogo de quarta-feira contra o Atlético Paranaense, pela Copa do Brasil, preocupa mais o Corinthians que a finalíssima do próximo domingo contra o Botafogo. Por mais que os jogadores e o técnico Wanderley Luxemburgo digam o contrário, o título estadual já é considerado certo pelo clube. A classificação para a semifinal da Copa do Brasil, no entanto, é um desafio para o time."Temos as mesmas chances do Atlético Paranaense, ou seja, 50% para cada lado", disse Luxemburgo. No jogo de ida, no Pacaembu, houve empate sem gols. A vitória ou um empate com gols darão a classificação ao Corinthians. Um novo 0 a 0 levará a decisão aos pênaltis.Além de Marcelinho, suspenso, o time tem um problema extra para o jogo em Curitiba: André Luiz machucou o joelho esquerdo aos seis minutos do segundo tempo da partida de hoje e ficará fora do jogo de quarta-feira. André chegou ao vestiário sem tocar o pé esquerdo no chão e amparado por dois funcionários do clube. "A pancada afetou o ligamento medial", disse o médico Joaquim Grava. A extensão da contusão só será conhecida após um exame de ressonância magnética, amanhã, em São Paulo.Com a presença do presidente Alberto Dualib, Luxemburgo reuniu os jogadores a portas fechadas no vestiário após a vitória e ensaiou com os atletas o discurso de que nada está ganho ainda no Paulista, apesar da vantagem de três gols do time.Ao final da palestra, ouviram-se aplausos dos jogadores. "Temos uma vantagem muito grande, mas não o título. Os atletas podem saborear a vitória hoje e amanhã, mas a partir de terça-feira esqueceremos tudo e começaremos a trabalhar para o jogo contra o Atlético Paranaense", disse o treinador.O vice-presidente de Futebol, Antonio Roque Citadini, repetiu o discurso, mas não conseguiu disfarçar o espírito que domina os corintianos. "Esperamos que o time vença no Morumbi e que conquiste aquele que talvez seja o título mais bonito do clube nos últimos anos", afirmou, referindo-se ao fato de o Corinthians ter saído do penúltimo lugar na tabela de classificação para a final. O dirigente se disse surpreso com os boatos que circularam em Ribeirão Preto de que a finalíssima poderia ser realizada na cidade de Presidente Prudente. "O mando é da Federação Paulista de Futebol, mas não sei nada a respeito disso", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.