Corinthians perde do Bahia, mas se classifica às oitavas de final

Com muitos reservas e a cabeça no clássico com o Santos, na Vila Belmiro, equipe leva 1 a 0 e perde invencibilidade de 10 partidas

Raphael Ramos, O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2014 | 00h06

A vitória por 3 a 0 na partida de ida permitiu que o Corinthians jogasse muito mal nesta quarta-feira contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, em Salvador, e mesmo assim se classificasse para as oitavas de final da Copa do Brasil. Com um time cheio de reservas e a cabeça no clássico de domingo contra o Santos, pelo Campeonato Brasileiro, perdeu por 1 a 0 na volta da terceira fase e acabou com uma invencibilidade de 10 jogos.

O técnico Mano Menezes surpreendeu na escalação. Além de Lodeiro, Guerrero e Jadson, que não viajaram a Salvador para se recuperarem fisicamente para a parida na Vila Belmiro, o treinador também deixou de fora Elias, Romarinho e Romero.

As alterações mudaram o desenho tático do Corinthians, que trocou o esquema 4-4-2 pelo 4-5-1 e deixou Luciano como única referência no ataque. A opção de Mano Menezes que causou mais surpresa, no entanto, foi a escalação de Fagner na lateral direita. Como foi expulso contra o Coritiba e terá de cumprir suspensão automática no clássico, havia a expectativa de que o treinador colocasse Guilherme Andrade desde o início para o jogador ganhar ritmo de jogo e entrosamento já de olho na partida de domingo.

Fagner, porém, ficou apenas 20 minutos em campo e saiu machucado. Guilherme Andrade entrou muito mal e por causa do desempenho decepcionante desta quarta pode não jogar o clássico. Doze minutos depois de entrar em campo, o jogador fez um gol contra em uma jogada em que estava sozinho e não oferecia riscos ao Corinthians. Após cruzamento rasteiro de Railan pela direita, Guilherme Andrade tentou mandar a bola para escanteio, mas acabou jogando contra a própria rede.

Independentemente da falha de Guilherme Andrade, o Bahia estava muito melhor do que o Corinthians e merecia a vantagem. Mesmo com apenas três titulares - os principais jogadores da equipe foram poupados para a partida de sábado contra o Goiás pelo Brasileirão, competição em que a equipe luta contra o rebaixamento -, o time baiano mostrou um bom futebol no primeiro tempo e se aproveitou da postura excessivamente defensiva do rival alvinegro. O trio de volantes formado por Ralf, Bruno Henrique e Petro mal passava da linha do meio de campo e o atacante Luciano, isolado, e poupo participava do jogo.

Ciente de que se não mexesse o time a classificação correria riscos, Mano Menezes trocou o inoperante Danilo pelo veloz Romero no intervalo. A alteração mudou o jogo. Pela esquerda, mas com liberdade para atuar pela direita, também o paraguaio não deu sossego para a defesa do Bahia. Toda vez que recebia a bola, ele partia para cima dos seus marcadores e, em 15 minutos, já havia criado duas boas oportunidades que gol.

O Corinthians, no entanto, não manteve o ritmo por muito tempo e logo passou a administrar o resultado. Com exceção de uma finalização de Maxi Biancucchi, aos 29 minutos, o time alvinegro praticamente não foi incomodado pelo Bahia até o apito final.

FICHA TÉCNICA

BAHIA 1 x 0 CORINTHIANS

BAHIA - Marcelo Lomba; Railan, Lucas Fonseca, Demerson e Guilherme Santos; Feijão (Bruno Paulista), Rafael Miranda, Léo Gago e Emanuel Biancucchi (William Barbio); Maxi Biancucchi e Jeam (Branquinho). Técnico: Charles Fabian.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner (Guilherme Andrade), Gil, Cleber e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique, Petros, Danilo (Romero) e Renato Augusto; Luciano (Elias). Técnico: Mano Menezes.

GOL - Guilherme Andrade (contra), aos 33 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS - Lucas Fonseca (Bahia); Guilherme Andrade (Corinthians).

ÁRBITRO - Charles Hebert Ferreira (AL).

RENDA - R$ 202.381,00.

PÚBLICO - 5.722 pagantes (5.809 no total).

LOCAL - Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilBahiaCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.