Corinthians perde no México: 3 a 0

O Corinthians esteve irreconhecível, nesta quarta-feira, na altitude da Cidade do México (2.650 m acima do nível do mar) e foi derrotado pelo Cruz Azul por 3 a 0. Foi a primeira derrota da equipe na Libertadores/2003 e o fim de uma invencibilidade de nove jogos. O Corinthians permanece com nove pontos ganhos no Grupo 8 e precisa de mais um para garantir a vaga à próxima fase. Na quarta-feira recebe o Fênix, no Pacaembu; e no dia 9 enfrenta o The Strongest em La Paz.Aparentando cansaço e sem competência para sair da marcação do Cruz Azul, o Corinthians foi dominado no início do jogo. Longe de ser a equipe de muitas alternativas ofensivas que foi campeã paulista de forma incontestável, dava espaços para que os adversários atacassem, principalmente pelo setor esquerdo. Além de não mostrar a eficiência habitual quando ia ao ataque, Kléber deixava espaços para os mexicanos.Aos 6 minutos, não se preparou para uma cobrança pelo lado esquerdo. A bola foi rolada para Campos, que chutou forte de pé esquerdo, sem chance para o goleiro Doni. A desorganização era total na defesa corintiana. Aos 11 minutos, Campos cobrou escanteio da esquerda; a zaga e Doni ficaram olhando. Se o zagueiro Brown não chegasse atrasado na bola, poderia ter marcado o segundo gol.O Corinthians começou a mostrar um pouco de lucidez no ataque a partir dos 24 minutos, quando Liedson chutou de longe, para fora. O Cruz Azul já não era tão eficaz na marcação.Era o que o Corinthians queria para começar a armar seus ataques pelo setor esquerdo. Aos 34, novamente Liedson bateu de fora da área e o goleiro González defendeu. Quando o Corinthians era melhor e Gil, apagado na partida, começava a sair da marcação, o time mexicano fez o segundo gol. A bola foi cruzada da esquerda, Ânderson falhou grotescamente e Cacho, de pé direito, fez 2 a 0.O Corinthians voltou para o segundo tempo com enormes dificuldades para superar a aplicação tática dos mexicanos. O Cruz Azul retomou o ritmo que mostrara no início da partida. Gil, Kléber, Jorge Wagner e Liedson não conseguiam realizar uma única jogada ofensiva. O Cruz Azul chegou ao terceiro gol. E foi mais uma falha de marcação da defesa. Jiménez cruzou da esquerda, e Fábio Luciano ficou olhando Palencia marcar.Gil, que teve atuação fraquíssima, foi substituído por Renato. A torcida mexicana gritava ?olé?. Os corintianos se enervaram com o toque de bola do adversário e começaram a apelar. Ânderson e Kléber deram uma entrada violenta em Campos e o zagueiro foi advertido com cartão amarelo. Geninho pôs Fumagalli no lugar de Jorge Wagner. Inútil: seu time estava batido.Ficha TécnicaCruz Azul ? González; Gutierrez, Ricardo Osorio (Marvin Cabrera), Aaron Galindo e Melvin Brown; Gilberto Jimenez, Alberto Hernandez, Flavio Davino (Alejandro Corona) e Tomas Campos; Juan Carlos Cacho (Miguel Zepeda) e Francisco Palencia. Técnico ? Enrique Meza.Corinthians ? Doni; Rogério, Fábio Luciano, Anderson e Kléber; Fabinho, Vampeta e Jorge Wagner (Fumagalli); Leandro, Liedson e Gil (Renato). Técnico ? Geninho.Gols ? Campos aos 6 e Cacho aos 45 minutos do primeiro tempo; Palencia aos 22 do segundo.Árbitro ? Gilberto Hidalgo (PER).Cartão amarelo ? Hernández e Ânderson.Local ? Estádio Azul

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.