Corinthians perde outra e está eliminado

O Corinthians é só decepção no Campeonato Paulista. Neste domingo foi derrotado outra vez, 2 a 1 para o América, em São José do Rio Preto, e não tem mais nenhuma chance de ir para a segunda fase. E o que é pior, com apenas 8 pontos, ainda corre o risco de cair para a Segunda Divisão. A partir do dia 21, daqui a dois fins de semana, portanto, os corintianos vão assistir em casa à disputa entre os oito classificados ? até agora, no Grupo 1, o São Paulo garantiu vaga; no Grupo 2, classificaram-se Paulista, Santos e Palmeiras. De nada adiantaram os treinamentos psicológicos de Oswaldo de Oliveira, que assumiu o comando da equipe no meio do campeonato e tentava, nos treinos, elevar o moral do elenco ? principalmente dos mais novos. Neste domingo, alguns deles jogaram. De nada serviram também os treze reforços que desembarcaram no clube no início do ano. O Corinthians fez uma competição para apagar de sua história e tenta ao menos encerrá-la de maneira menos humilhante domingo, contra a Portuguesa Santista, no Pacaembu. Se perder e o Juventus vencer o São Paulo, é rebaixado. Logo no início da partida, deu para perceber que o América de Rio Preto era o adversário que os corintianos pediam a Deus. Não tinham uma grande equipe e deixavam jogar. O Corinthians, então, começou pressionando. Meio desorganizadamente, mas pressionando. O torcedor não via isso a tempos e vibrava. Ora Jô, ora Gil, ora Bobô; gol que é bom... Durou cerca de 20 minutos o afã corintiano. E o jogo se tornou aberto. Prova disso é que aos 26 o América fez o gol ? o juiz, no entanto, marcou impedimento e anulou. O problema do Corinthians não era apenas tático, nem técnico. Rogério e Fininho apoiavam e, sem a bola, marcavam. Os zagueiros não comprometeram e Fábio Costa fez o que pôde. Somente Rincón armava, essa certamente era uma falha. Os atacantes, esses sim, poderiam ter sido mais impetuosos, arrojados. Talvez esteja aí a explicação para o baixo rendimento do time: falta ímpeto ao Corinthians.Depois de levar 1 a 0 do América (gol de Jorginho, aos 6 do segundo tempo), o time perdeu de vez o escasso ânimo que apresentava. Coube a um zagueiro, Anderson, fazer o gol de empate, aos 19. O gol serviu para ligar o time, já era tempo. Mas a pilha corintiana tem curta duração. A partir dos 30, o América voltou a levar perigo. Aos 33, Fabrício salvou em cima da linha; aos 34, o time da casa acertou o travessão. Aos 39, o meia Luiz Fernando, de fora, bateu no canto esquerdo de Fábio Costa. Dava para o goleiro pegar? Talvez, mas não chegou a tempo. Final: 2 a 1 para o América.

Agencia Estado,

07 de março de 2004 | 17h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.