Paulo Pinto/AE
Paulo Pinto/AE

Corinthians perde para o Atlético-GO, e Adílson Batista não é mais o técnico

Derrota em casa por 4 a 3 evidencia crise na equipe alvinegra; diretoria procura novo comandante

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

10 de outubro de 2010 | 17h56

SÃO PAULO - Revoltado. Essa é a melhor definição para o torcedor que foi ao Pacaembu e viu o Corinthians perder para o Atlético-GO, de virada, por 4 a 3, em partida válida pela 29.ª rodada do Campeonato Brasileiro, e que culminou na saída do técnico Adílson Batista do comando.

Veja também:

linkAdílson diz que saída foi uma decisão de bom senso

blog Antero Greco - Corinthians mostra despreparo na demissão de Adílson

Brasileirão Série A - tabela Classificação / lista Tabela

Eldorado/ESPN - Corinthians 1x0 / 1x1 Atlético-GO / 1x2 Atlético-GO / 1x3 Atlético-GO / 1 x 4 Atlético-GO / Corinthians 2x4 / Corinthians 3x4

O resultado, que fez a equipe alvinegra aumentar seu jejum de vitórias para cinco jogos, foi o suficiente para Adílson Batista. Ao ouvir os xingamentos da torcida, o técnico optou por deixar o clube. "As portas sempre estarão abertas para ele [Adilson Batista], que é um técnico vitorioso, de grande índole", disse o diretor de futebol do clube, Mário Gobbi.

No sábado, alguns torcedores da Gaviões da Fiel tiveram uma conversa com jogadores no CT Joaquim Grava, cobrando uma reação imediata, e a permanência do técnico no comando do Corinthians dependia de uma boa vitória sobre o Atlético-GO, o que não aconteceu.

Além de ficar sem técnico, o Corinthians parou nos 49 pontos no Brasileirão, cinco a menos que o novo líder da competição, o Cruzeiro.

O Atlético-GO, por sua vez, chega aos 29 pontos, mas ainda continua na zona de rebaixamento. De qualquer forma, a equipe goiana fecha o ano com duas vitórias sobre o Corinthians, somando nada menos do que sete gols.

O domingo de terror para o corintiano não parecia evidente. A equipe começou bem e abriu o placar logo aos dois minutos, com Leandro Castán, que entrou na vaga do poupado Roberto Carlos. O zagueiro desviou a bola na pequena área após cruzamento de Bruno César pela direita.

O bom momento corintiano parou por aí. Apesar de contar com três volantes e três zagueiros em campo, a equipe não conseguia marcar com eficiência. Melhor para o Atlético-GO, que empatou o jogo aos 20, com Juninho, após falha grotesca da defesa alvinegra, tendo como ápice a tentativa frustrada de Thiago Heleno em tirar a bola na linha do gol.

O empate baqueou o Corinthians, que viu o adversário virar o placar aos 35, novamente com um erro da defesa. Após cobrança de falta pela esquerda, o zagueiro Gílson apareceu sozinho na cara de Júlio César para tocar a bola para o fundo do gol.

Impaciente, a torcida corintiana começou a pedir pelo zagueiro Chicão, que retornou de contusão, mas começou o jogo no banco de reservas. Enquanto isso, o Atlético-GO fez o terceiro aos 45, com o atacante Marcão, que aproveitou mais um erro da defesa corintiana; dessa vez creditado à Alessandro e William, que seria substituído por Chicão no intervalo.

Se o primeiro tempo terminou de forma vexatória para o Corinthians, o começo do segundo não foi diferente. Jogando como bem desejava, o clube goiano chegou ao quarto gol aos 25, novamente com Marcão.

Sem nada a perder, Adílson Batista resolveu colocar Defederico e William Morais na equipe, e o Corinthians reagiu e por pouco não empatou. Aos 26, William Morais marcou o segundo gol, enquanto o zagueiro Thiago Heleno marcou o terceiro, aos 43.

Com a expectativa de ao menos sair do Pacaembu com o empate, o Corinthians pressionou como pôde e teve duas chances de fazer o quarto, mas o goleiro Márcio mostrou capacidade ao fazer belas defesas e, assim, garantir a segunda vitória de sua equipe em tal estádio (a primeira foi contra o Palmeiras, por 3 a 0).

Agora, o Corinthians se prepara para enfrentar o Vasco na quarta-feira, às 22 horas, em São Januário, enquanto o Atlético-GO encara justamente o Vasco, só que no domingo, dia 17, às 16 horas, no Serra Dourada.

  Corinthians - 3 - Júlio César;Alessandro, Thiago Heleno, William (Chicão) e Leandro Castán  ; Moacir (Defederico), Paulinho, Jucilei  e Bruno César; Iarley e Souza (William Morais). Técnico - Adílson Batista.

  Atlético-GO - 4 - Márcio; Adriano, Gílson (Jairo ), Daniel Marques e Thiago Feltri; Agenor , Pituca, Robston, Anaílson (Renatinho) e Juninho (William); Marcão. Técnico - Renê Simões.

Gols - Leandro Castán, aos 2, Juninho, aos 20, Gílson, aos 39, e Marcão, aos 45 minutos do primeiro tempo; Marcão, aos 22, William Morais, aos 26, e Thiago Heleno, aos 42 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Ricardo M. Ferreira (Fifa-MG).

Público - 26.554 pagantes.

Renda - R$ 748.606,00.

Local - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Atualizado às 18h46 para acréscimo de informação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.