Corinthians perde para o Cruzeiro e Carpegiani é demitido

Derrota por 3 a 0 provoca protestos pela fraca atuação; técnico é dispensado por novo vice, ainda no vestiário

Wilson Baldini Jr., Estadão

25 de agosto de 2007 | 20h11

Um amontoado de jogadores, sem orientação tática, alguns aparentemente sem condições físicas ideais e com uma boa dose de falta de sorte. Este é o Corinthians, que perdeu para o Cruzeiro, por 3 a 0, neste sábado à noite, no Pacaembu, e definitivamente tirou da cabeça de seus torcedores a ilusão de ficar entre os primeiros colocados do Campeonato Brasileiro. Além disso, o resultado culminou com a demissão do técnico Paulo Cezar Carpegiani, no vestário, executada pelo novo vice-presidente de Futebol, Antoine Gebran.Veja também: Classificação Resultados/Próximos jogos Vice de Futebol demite técnico sem consultar presidente"Agradeço a oportunidade que tive, mas na conversa o vice-presidente achou que era o momento de eu sair. É uma pena, não sou de abandonar o barco, mas paciência", pronunciou rapidamente Carpegiani, no vestiário do Pacaembu. O novo técnico ainda não está definido e a diretoria do clube deve se pronunciar em breve. O Cruzeiro, que devolveu ao Corinthians o placar do primeiro turno no Mineirão, está invicto há sete jogos e chega aos 38 pontos, três atrás do líder São Paulo. O Corinthians segue com 27 pontos.Se o retorno de Betão deu esperanças à torcida do Corinthians de que a defesa teria melhor rendimento, a produção de Ricardinho e Vampeta no meio-de-campo frustrou os torcedores. Os veteranos não têm condições de marcar forte, ainda mais o rápido ataque do Cruzeiro, o melhor do campeonato. Com isso, o que se viu foi o time mineiro com muita facilidade para tabelar e chegar diante do goleiro Felipe. Foram seis boas defesas do camisa 1 corintiano, que não conseguiu evitar o gol de Alecsandro, aos 27 minutos. CORINTHIANS0Felipe; Fábio Ferreira, Zelão e Betão    ; Edson (Moradei), Ricardinho    , Vampeta, Wilson (Dentinho) e Gustavo Nery; Arce (Éverton Santos) e Finazzi.Técnico: Paulo Cezar Carpegiani CRUZEIRO3Fábio; Jonathan, Émerson    , Thiago Heleno     e Fernandinho; Charles, Ramires, Maicosuel (Marcinho) e Leandro Domingues (Aldo); Alecsandro e Marcelo Moreno (Nenê). Técnico: Dorival JuniorGols: Alecsandro aos 27 minutos do primeiro tempo; Jonathan aos 17 e Alecsandro aos 35 do segundo tempo.Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)Renda: Não disponívelPúblico: 26.256 pagantesEstádio: Pacaembu, em São Paulo (SP)Se o ataque do Cruzeiro é bom, a defesa não mostra a mesma eficácia. O Corinthians, mesmo de forma atabalhoada, teve três ótimas chances de marcar. Duas com Finazzi e outra com Gustavo Nery. "Três na frente fixos fica difícil. Precisamos de mais um no meio", reclamou Vampeta, no intervalo. Mas o técnico Paulo César Carpegiani não ouviu e manteve a mesma escalação.Pelo menos até os seis minutos. A torcida exigiu a saída de Wilson e o treinador colocou Dentinho. Mas o time seguiu sem força, desorientado e com falta de sorte. Aos 17 minutos, Jonathan arriscou de fora da área, a bola bateu em Ricardinho e encobriu Felipe: 2 a 0. Alecsandro, de novo, mas agora aos 35 minutos, ainda fez o terceiro gol para os mineiros.Foi demais para os mais de 30 mil corintianos no Pacaembu. Os torcedores pouparam os jogadores, mas elegeram Carpegiani como culpado e o coro de "burro" foi ouvido no estádio. Pior para a vaga de William, que foi para a Ucrânia, a torcida apresentou durante a semana o desconhecido Aílton.Atualizado às 20h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.