Corinthians pode sofrer no ataque sem Romarinho e Guerrero

Time vive dilema para decidir a transferência de Romarinho para o Catar e ainda pode ficar sem peruano, caso seja punido pelo STJD

Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

05 Setembro 2014 | 05h00

Para o Corinthians, do ponto de vista financeira, a possível venda de Romarinho é um ótimo negócio. No entanto, é péssimo para o time que disputa duas competições simultaneamente Esse é o dilema da diretoria após ter recebido uma proposta do futebol do Catar. O El Jaish, por meio do empresário Carlos Leite, demonstrou interesse em comprar o atacante. A oferta, que seria de cerca de  7 milhões (R$ 20 milhões), agrada ao clube, que detém apenas 40% dos direitos econômicos do atleta - Leite tem 50%, e o Bragantino, 10%.


O prejuízo seria técnico num momento em que o clube pode perder outro atacante (Guerrero), além de não ter conseguido contratar Nilmar. Edu Gaspar, gerente de futebol, confirmou a proposta por Romarinho. "Estamos analisando, é preciso falar com o jogador. Vários fatores precisam ser analisados."

O problema é com a situação de Guerrero. O atacante vai perder mais dois jogos porque está defendendo a seleção peruana. Na próxima semana, o atacante será julgado no STJD pela trombada no árbitro Leandro Bizzio Marinho. Como o lance é similar ao que aconteceu com Petros, a punição pode ser pesada - até seis meses. Se perder Guerrero e Romarinho, em caso de negociação, o ataque titular seria formado por Luciano e Romero.

O quadro se agravaria em caso de suspensão, como vai acontecer no domingo. Luciano recebeu o terceiro amarelo e não enfrenta o Criciúma. A escassez de jogadores obriga a diretoria buscar nomes mais modestos para reforçar o time. "Um mercado que nos interessa é o da Série B. Estamos olhando", afirmou Edu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.