Corinthians pode utilizar exame que indica ingestão de álcool

Diretoria decide vigiar atletas depois dos problemas que o clube enfrentou na última temporada

Cosme Rímoli, do Jornal da Tarde,

08 de janeiro de 2008 | 09h23

Acabou a possibilidade de os jogadores do Corinthians irem para festas, beberem ou passarem noites em claro. As festas no apartamento de alguns atletas, que foram denunciadas por vizinhos no ano passado, não se repetirão graças a um moderno aparelho, o refletron, que será utilizado a partir de agora pela comissão técnica do clube.   Veja também: Lulinha admite: teve medo de voltar para as categorias de base   "A intenção com os exames no refletron não é específica em relação ao álcool", admite o preparador físico Flávio Trevisan. "Mas pelo sangue poderemos chegar à conclusão que o atleta está desgastado. E, se for o caso, pedir exame para consumo de álcool. Em três anos, nunca fiz isso no Grêmio e espero nunca fazer no Corinthians. Mas, sou sincero, se precisar, o aparelho não falha. Mostra mesmo."   Os exames serão feitos semanalmente. Depois das partidas e sem dia específico. O teste exige apenas uma gota de sangue de um dedo. Não haverá perdão para quem for pego por consumo de álcool. Mano Menezes não admitirá mesmo indisciplina e exigirá comportamento exemplar fora do campo. Com total aval da diretoria. Os excessos de Fábio Ferreira e de Zelão ainda repercutem no ambiente. Ainda mais com o rebaixamento da equipe.   "Haver um exame que detecte álcool é ótimo, exemplo de modernidade. Vamos exigir mesmo disciplina. Zelão foi afastado pelos excessos. Fábio Ferreira ficou, não porque é mais bonitinho, mas pelo potencial técnico. Mas está avisado de que não tem direito de errar de novo. Acabou", diz o vice-presidente de Futebol, Mario Gobbi.   Mas quem chocou a comissão técnica foi o goleiro Felipe, que voltou das férias cinco quilos acima do peso. "Fiquei um mês em Salvador. As pessoas queriam que eu treinasse nas minhas férias? Cheguei mais gordinho mesmo", disse Felipe. O jogador jurou que nos quatro dias de treinamento já perdeu três quilos e meio. "Só falta agora um quilo e meio para eu chegar ao meu peso ideal. Estou treinando demais, já entrei na dieta e estou usando até uma tornozeleira com peso para correr. Estarei na minha forma ideal logo."   O grande medo da comissão técnica é que Felipe repita o que fazia Fábio Costa nos seus momentos de crise: descontava o estresse comendo muito além da conta. "O caso do Felipe foi o mais agudo de todo o grupo. Nós vamos ter o máximo cuidado com ele porque sabemos o jogador que ele é e o que significa para o Corinthians. Seu preparo físico será o melhor possível. Ele vai treinar muito para isso", garantiu Flávio Trevisan.   E, para garantir que o treino físico corintiano seja o mais forte possível, Trevisan adquiriu um aparelho que acompanha todos os jogadores durante a corrida. Os monitores de freqüência cardíaca ficam ligados a um computador e todos são administrados pelo preparador físico. "Ninguém poderá fingir que está correndo. O aparelho vai delatar", disse Trevisan. A vida dos jogadores será dura no Corinthians em 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
Corinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.