Cesar Olmedo/ AP
Cesar Olmedo/ AP

Corinthians poderá estrear na Libertadores contra algoz da edição de 2015

Time alvinegro foi eliminado pelo Guaraní, do Paraguai, há três anos com derrotas no jogo de ida e volta

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2019 | 04h30

O Corinthians não deve ter vida fácil na Libertadores. Além da possibilidade de enfrentar o Palmeiras na fase de grupos, o time alvinegro pode também encarar seu algoz da edição 2015 do torneio, o Guaraní, do Paraguai.

Com a oitava colocação no Campeonato Brasileiro, a equipe do técnico Tiago Nunes estreará na segunda fase preliminar contra o vencedor do duelo entre Bolívia 4 e Guaraní (PAR). Caso os paraguaios passem, o Corinthians reencontrará o mesmo adversário que o eliminou há três anos. 

Na ocasião, o time alvinegro perdeu as duas partidas e foi eliminado nas oitavas de final. No Paraguai, no duelo de ida, levou 2 a 0. Depois, na arena em Itaquera,  foi derrotado por 1 a 0 e deu adeus à competição.

A tabela detalhada da Libertadores ainda não foi divulgada, mas a estreia do Corinthians na edição deste ano deve acontecer em fevereiro. Se passar, terá pela frente quem vencer do jogo entre Cerro Largo (URU) x Palestino (CHI). Aí sim vai para o Grupo B, onde está o Palmeiras, Bolívar e Tigre.

Antes do sorteio, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, criticou o modelo atual da Libertadores e defendeu a participação de menos times brasileiros na competição. O dirigente reclamou que o calendário de futebol do País não permite a disputa da fase pré da competição.

"Estou reclamando com a Conmebol porque acho que o Brasil não tinha que ter mais de cinco times na disputa. Não estou chorando nem nada. O Corinthians se classificou em oitavo. O Corinthians está na pré Libertadores. Mas acho que não tinha que ter isso. É melhor ficar fora do que disputar uma pré-Libertadores. Tinha que ir direto para fase de grupos. O calendário infelizmente não permite isso", comentou em entrevista à Fox.

PREMIAÇÃO

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, anunciou que o prêmio ao campeão da Libertadores aumentará na próxima edição de US$ 12 milhões (R$ 48 milhões) para US$ 15 milhões (R$ 61 milhões). O time que chegar às quartas de final receberá US$ 1,5 milhão (R$ 5 milhões). Quem avançar à semifinal ganhará US$ 2 milhões (R$ 8 milhões). Ainda, cada equipe que disputar a final ficará 25% da bilheteria.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.