Corinthians poderá ir à Justiça

Desmoralização e apreensão. Essas são as palavras-chave da estratégia corintiana diante da polêmica sobre a vantagem nas finais do Campeonato Paulista. No Parque São Jorge, os dirigentes apostam que o clima de indefinição não só vai comprometer ainda mais a credibilidade de um já desacreditado Estadual, como também pode abalar emocionalmente o grupo do São Paulo, adversário na decisão. "Enquanto existir esse clima de indefinição, eles (são-paulinos) jamais vão entrar no campo certos de que tem a vantagem", afirmou um cartola corintiano. A idéia é simples. A cúpula alvinegra vai insistir na realização de uma reunião do Comitê Executivo da Federação Paulista de Futebol (FPF), para que o regulamento seja analisado e interpretado. Sabem que, feito dessa forma, a chance de o Corinthians ficar com a vantagem ou, na pior das hipóteses, os finalistas entrarem na mesma condição, são grandes. Caso a proposta não seja aceita, não está descartado recurso na Justiça. Já a entidade se esforça para evitar a reunião. Tudo porque a decisão certamente irá de encontro ao definido pelo presidente Eduardo José Farah, favorável ao São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.