Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Corinthians precisa melhorar aproveitamento para evitar queda no Brasileirão

Time alvinegro tem que somar dez pontos em nove jogos para fugir do rebaixamento

João Prata, O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2018 | 05h00

Derrotado na Copa do Brasil, o Corinthians não tem tempo para lamentar e agora faz as contas para se livrar do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Faltam nove rodadas para o término da competição e o cálculo da comissão técnica para evitar a queda é que são necessários mais dez pontos. Ou seja, na reta final, o time alvinegro tem que conseguir ao menos 37% de aproveitamento para permanecer na elite nacional.

A situação poderia ser tranquila, pois essa porcentagem é quase a do Ceará no torneio (36,9%), time que abre o grupo da degola. Mas o atual momento do Corinthians é ainda mais desesperador. Jair Ventura completou dez jogos à frente do time e soma cinco derrotas, três empates e duas vitórias, o que representa 30% dos pontos, inferior ao do Sport (31%), atual penúltimo colocado na tabela.

Para piorar, o Corinthians está há quatro jogos sem vencer no Brasileirão - são dois empates e duas derrotas. No último sábado, perdeu para o Santos por 1 a 0, no Pacaembu. Com esse péssimo retrospecto, o time ocupa o 11.º lugar, com 35 pontos, a quatro do rebaixamento. A equipe se prepara para sequência de três jogos contra adversários diretos na parte de baixo da classificação.

No domingo, visitará o Vitória, (16.º, com 32 pontos), no Barradão. Depois, dia 27, receberá o Bahia (13.º, com 34 pontos) e no dia 4 de novembro visitará o Botafogo (12.º, com 35 pontos). 

“É uma situação que preocupa. A partir de agora são nove finais. Temos que reagir e nos planejar para ter um time forte em 2019. Já estamos planejando isso”, admitiu o presidente do clube, Andrés Sanchez.

Na reta final do torneio, o Corinthians vai fazer mais quatro jogos em casa. Além do Bahia, a equipe terá o clássico contra o São Paulo e pegará dois outros adversários que lutam para não cair: o Vasco e a Chapecoense.

Jair Ventura tem evitado falar sobre os riscos de queda para a Série B. O treinador espera que o time supere logo a derrota em casa para o Cruzeiro por 2 a 1, que deu ao time o vice da Copa do Brasil e passe a olhar para a tabela do Brasileirão para a parte de cima.

“Temos que ficar tristes pelo vice, mas temos esse direito até o próximo jogo. Ele é nosso foco agora. Temos que fazer o melhor possível para terminar o mais alto. O momento é para pouca conversa e muito trabalho”, disse o treinador.

O elenco não ganhou folga e se reapresentou na quinta-feira à tarde. Os titulares da última partida fizeram apenas treino regenerativo na academia. Os reservas foram a campo. Entre os presentes na atividade com bola estavam os atacantes Pedrinho e Roger, além do volante Douglas.

A expectativa é que o trio comece em campo no duelo do Brasileirão. Pedrinho participou do treino desde o início, mesmo após as ameaças de seu empresário Will Dantas. Indignado com a anulação do gol do jogador contra o Cruzeiro, o agente chegou a declarar que o ciclo de Pedrinho havia chegado ao fim no Corinthians. Horas depois, recuou, admitiu que se excedeu e disse que o atacante continua no clube.

 

No entanto, avisou que existem muitos clubes da Europa interessados no atacante. “Não estava nos meus planos fazer isso de imediato (aceitar uma proposta), mas o assédio está muito grande”, comentou.

A tendência é que Pedrinho ganhe a vaga de Emerson Sheik, que deve ficar de fora por desgaste muscular. No comando do ataque, Roger deve ter mais uma chance. Na coletiva após o vice da Copa do Brasil, Jair Ventura reconheceu que Jonathas não agradou contra o Cruzeiro. Já Douglas deve substituir Gabriel, que levou o terceiro cartão amarelo e terá que cumprir suspensão. A confirmação do time deve acontecer nesta sexta-feira.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.