Corinthians prepara operação de guerra

O lateral Eduardo Ratinho pode ficar fora da partida contra o Santos quinta-feira, na Vila. O jogador sofreu nesta segunda-feira um trauma no pé direito e deixou o campo carregado por membros da comissão técnica. Não conseguia sequer apoiar o pé no chão. Parecia sério. O atleta participava de um trabalho técnico de chutes a gol. Ele fará exames médicos mais detalhados nesta terça para avaliar a gravidade da lesão. Se não puder atuar, o técnico Antônio Lopes tem Edson e Coelho como opções.Após o treino desta segunda-feira à tarde, comissão técnica e dirigentes se reuniram para analisar o calendário do time nos próximos 15 dias. O Corinthians fará oito partidas até o dia 2 de novembro. E acredita-se que o título do Brasileiro estará bem encaminhado até lá. O Corinthians não quer dar mole para qualquer inconveniente de última hora, por isso estuda todas as possibilidade possíveis para não desgastar o time. Vai montar um esquema de guerra. O meia Roger sabe da dificuldade da maratona, sobretudo num momento chave do campeonato. ?Por isso, temos de descansar o maior tempo possível e ter consciência do que podemos e não podemos fazer. A maratona é grande e vai exigir muito da nossa equipe?, comentou ele, já dando seu recado aos mais novos. As badalações estão proibidas no Parque São Jorge.Lopes deve decidir pelo rodízio de alguns jogadores, sobretudo na Copa Sul-Americana. O time encara agora o Pumas, do México, em duelos de ida e volta. O primeiro deles é dia 19. Deve também manter o esquema de um dia a mais de concentração, a fim de melhor cuidar da alimentação dos atletas. Não está descartada ainda a intenção de um período fora de São Paulo, em regime de concentração total num hotel, o que para alguns membros da comissão técnica seria o ideal nesse momento.

Agencia Estado,

10 de outubro de 2005 | 20h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.