Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Corinthians prepara trabalho especial para 'resgatar' Lodeiro

Clube não pensa em perder o meia uruguaio e vai fazer um trabalho específico na pré-temporada para tê-lo pronto para ajudar em 2015

Fábio Hecico, O Estado de S. Paulo

28 de dezembro de 2014 | 07h00

O Corinthians não pensa em emprestar Lodeiro e vai fazer um trabalho especial com o uruguaio para tê-lo motivado e em plenas condições de jogar mais e ajudar o time em 2015. O meia terá acompanhamento psicológico e um cronograma de preparação física e fisioterápica diferenciados, assim como foi feito com Renato Augusto em 2014 e que surtiu efeito.

Lodeiro chegou ao Corinthians após a Copa do Mundo e disputou apenas oito dos 35 jogos do time. Sofreu com as lesões, com a falta de entrosamento com os novos companheiros e fechou a temporada “encostado” por Mano Menezes. Como a diretoria aposta muito no futebol do uruguaio, a expectativa é que a atenção especial que ele receberá na pré-temporada possa fazê-lo “desencantar” com a camisa do clube – mesmo com interesse no futebol argentino em seu futebol.

“Ele nem teve tempo de jogar, de mostrar seu potencial e é cedo para falar em saída”, prega o diretor Ronaldo Ximenez. “O Lodeiro ainda não se adaptou, mas vai brilhar aqui.”

Contratado por R$ 4,5 milhões do Botafogo (valor pago por 50% de seus direitos), Lodeiro assinou até 2018 e desembarcou no clube como grande esperança para a armação. Mas primeiro sofreu um corte no pé em acidente com uma saboneteira – quando ia voltar, os pontos abriram – e depois ficou afastado por lesão muscular. Nas poucas vezes em que teve chance de jogar, ele destoou do time por falta de entrosamento.

Tudo isso o clube pretende arrumar na pré-temporada. “Tenho certeza que o Lodeiro vai nos ajudar muito, não é possível. O que ele jogava na seleção, no próprio Botafogo e aqui não acertou. Vamos trabalhar um pouco melhor a cabecinha do cara e ele vai ficar melhor”, afirma Edu Gaspar, gerente de futebol.

Lodeiro terá auxílio por vídeo de como os companheiros jogam, terá conversas com uma psicóloga do clube para recuperar a autoestima e receberá uma carga física diferenciada e exclusiva para ele. Tudo para iniciar o ano brigando por uma posição de igual para igual com Renato Augusto, Danilo, Petros e Jadson.

Renato Augusto, por sinal, aproveitou bem o trabalho no início da temporada. Ele demorou um pouco mais para estrear e fez só sete dos 15 jogos no Paulistão. Mas participou de 30 no Brasileirão e de sete na Copa do Brasil, dando assistências importantes e até marcando gols.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.