Corinthians prevê sufoco no Serejão

Corinthians e Brasiliense fazem nesta quarta-feira um duelo de Davi contra Goliás, pelo título da Copa do Brasil de 2002. De um lado, o Davi, o pequeno Brasiliense, nascido há apenas 1 ano e oito meses, com jogadores desconhecidos, folha de pagamento de apenas R$ 200 mil e que tenta um feito inimaginável semanas atrás. Do outro, o Golias, o Corinthians, quase 92 anos de história e muitas conquistas, dono de um dos elencos mais caros do futebol brasileiro (US$ 1 milhão), que acaba de levantar uma taça, a do Torneio Rio-São Paulo, e tem dois jogadores na seleção brasileira que vai a Copa, Dida e Vampeta. Em jogo, também, uma vaga na Taça Libertadores da América de 2003. A partida começa às 21h45, no Estádio Serejão, a "Boca do Jacaré´´. O juiz será o pernambucano Wilson de Souza Mendonça.O Corinthians joga por um empate, porque venceu a primeira partida por 2 a 1. Ao Brasiliense, vitória simples basta. Se o jogo terminar 2 a 1 para o time da capital do País, o título será decidido nos pênaltis. A equipe paulista leva a taça mesmo perdendo por um gol de diferença, a partir de 3 a 2.A decisão começou quente, com os erros de arbitragem cometidos por Carlos Eugênio Simon na semana passada, e continua com a temperatura alta. Nesta terça-feira, o ex-senador Luiz Estevão, dono do Brasiliense e único Golias do time, proibiu o Corinthians de fazer o reconhecimento do gramado do Serejão. Alegou que queria preservar o campo. Na véspera, porém, o Brasiliense treinou lá."Esta errado. Eles haviam prometido nos ceder o campo. Mas não vamos entrar no clima de guerra´´, esbravejou o técnico do Corinthians, Carlos Alberto Parreira. Ao agir como um cartolão tradicional, Estevão, inclusive, desmentiu o técnico do Brasiliense, Péricles Chamusca, que no dia anterior havia assegurado que os paulistas seriam recebidos com total cortesia. "Aqui, todos são bem recebidos. Colocamos o campo sempre à disposição dos adversários. Acredito que futebol se resolve no campo.´´ O Corinthians joga completo. Dida e Vampeta só viajam para encontrar a seleção na quinta-feira. Mas o time está desgastado pelo excesso de partidas nos últimos dias, muitas delas decisivas. "Agora, o principal é descansar os atletas. E só o que temos de fazer´´, disse o preparador físico corintiano, Moracy Sant´Anna.O desgaste do adversário pode se transformar num fator favorável ao Brasiliense, acredita Gil Baiano, um dos mais experientes jogadores do time de Brasília. "Isso pode ajudar. Eles vêem de partidas decisivas e não tivemos mais tempo para descansar. Só que, independentemente disso, numa decisão todos se superam e o Corinthians é um time forte, é o favorito.´´ O volante Vampeta prevê um jogo complicado dentro de campo. "Eles já dificultaram nossa vida em São Paulo e certamente vão dar trabalho aqui também. Mas estamos confiantes.´´ Confiança também é uma das forças do Brasiliense, cujos jogadores prometem não se deixar influenciar pelo que aconteceu na partida em São Paulo. "Não adianta nada ficar pensando no que passou. É olhar para frente e jogar forte, para ser campeão´´, disse o zagueiro Thiago.Mas o time tem um grande problema. O atacante Wellington Dias, sete gols na Copa do Brasil, torceu o tornozelo esquerdo na segunda-feira, e só terá a escalação definida momentos antes da partida. "A torção foi leve, com um pequeno edema. Mas a decisão sobre seu aproveitamento só será tomada na quarta-feira?, disse o médico do Brasiliense Paulo Lobo. Se Wellington não jogar, o técnico Chamusca vai escalar Welton.O treinador do Brasiliense quer o seu time jogando com inteligência. "O importante é não tomar gol e fazer um para ser campeão. E o gol pode sair a qualquer momento da partida. Vamos jogar como sempre jogando. Com um bloqueio forte na defesa, mas atacando sempre.´´

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.