Corinthians promete quitar dívida com Leão

No momento em que o clube precisa de vitória santista, Andrés Sanchez diz que pagará até semana que vem

Fábio Hecico, O Estado de S. Paulo

31 de março de 2008 | 21h42

Na próxima quinta-feira completa um ano que o técnico Emerson Leão deixou o Corinthians. Saiu depois da eliminação no Paulistão de 2007, com a promessa de receber R$ 1 milhão pela rescisão de contrato. Mas, desde então, ele briga na Justiça para conseguir o dinheiro, hoje em torno de R$ 1,5 milhão.  Veja também:  Corinthians 'aposta' no Santos para conseguir a vaga Quais times levam as duas últimas vagas das semifinais do Paulistão? Bate-pronto - Paulistão: chegou a hora da verdade Veja as chances de classificação e rebaixamento no Paulistão TV Estadão: Análise da reta final do Campeonato Paulista Agora, no momento em que os corintianos mais precisam de um resultado positivo do Santos, o time treinado atualmente por Leão, o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, resolveu assumir a dívida com o treinador e garantiu que o pagamento sairá na próxima semana. Já eliminado do Paulistão, o Santos de Leão irá enfrentar a Ponte Preta na última rodada do campeonato, domingo, na Vila Belmiro. E o Corinthians depende da derrota ponte-pretana, além de sua própria vitória sobre o Noroeste, em Bauru, para ir às semifinais. "Detectamos há uns 20 dias que temos uma dívida de direitos de imagem. Nossos advogados e os dele [Leão] estão conversando e espero que esteja tudo certo na semana que vem", afirmou Andrés Sanchez, na manhã desta segunda-feira, durante o lançamento do moderno CEPROO (Centro de Preparação e Reabilitação Osmar de Oliveira). A obra realizada no Parque São Jorge, ao custo de R$ 1 milhão, inclui equipamentos de última geração, piscina aquecida, reforma na área médica, na cozinha e nos vestiários de jogadores (armários roxos personalizados) e da comissão técnica. Desafeto declarado de Leão, Andrés Sanchez adotou nesta segunda-feira um discurso em tom de cordialidade, como se fossem amigos de longa data. Minimizou até uma possível revolta do treinador com o Corinthians. "Não sei de nenhuma bronca do Leão com o Corinthians. Se tiver algo, foi com algumas pessoas que passaram pelo clube", disse o presidente. Andrés Sanchez aproveitou para descartar o pagamento de uma "mala branca" para o Santos não perder da Ponte Preta. Ele garantiu confiar no profissionalismo dos rivais santistas. "E tenho de pensar em pagar as minhas dívidas", afirmou o presidente corintiano. OBJETIVO INICIALNo elenco corintiano, os jogadores garantem estar focados apenas no Fortaleza, rival da Copa do Brasil, em jogo que acontece na quinta-feira - portanto, antes da definição do Paulistão, marcada para o próximo domingo. "Não adianta pular etapas. Agora, só estamos pensando no Fortaleza, pois um resultado ruim e podemos cair fora", afirmou o zagueiro Carlão.  "Seria desrespeitoso não ficar concentrados no Fortaleza", admitiu o capitão William, lembrando que o Corinthians ganhou por 2 a 1 no jogo de ida, na capital cearense, e pode até perder por 1 a 0 na quinta-feira para seguir na Copa do Brasil. "E vou falar muito, a todo momento, pedindo atenção. O time tem de manter o foco, não podemos desligar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.