Corinthians quer acabar ano com dignidade

A derrota para o Fluminense já convenceu os jogadores do Corinthians: Libertadores, só em 2005. "Agora, só nos resta terminar a temporada com dignidade", resignou-se o atacante Gil, simbolizando o pensamento de quase todos os jogadores. O grupo desembarcou em Congonhas reclamando de dois erros capitais da arbitragem, que anulou um gol legal de Gil e validou o de Romário, em jogada de impedimento. Mas como o futebol do Corinthians também não foi dos melhores, a maioria preferiu não se aprofundar demais nas reclamações. "Agora não adiantar chorar", acrescenta o volante Fabinho. "O jeito é terminar o Campeonato Brasileiro de forma digna e depois ver o que acontece. Mas a gente tem de reconhecer: a Libertadores ficou difícil". Seguindo o padrão estipulado pela diretoria, Juninho desembarcou sem dar entrevistas. Ele só fala às terças e às sextas-feiras. Ou após os jogos. Na quarta-feira, depois da derrota para o Fluminense, ele disse que não gostou do time. "Nós poderíamos ter rendido um pouco melhor.Mas não é hora de ficar achando defeitos. Vamos trabalhar forte pensando no jogo de domingo (Atlético-PR, 16h, no Pacaembu)", discursou o técnico. Goleiros - Nessa partida Juninho deve enfrentar problemas também no gol. Amanhã o goleiro Rubinho se submeterá a um exame de ultrasonografia. Qualquer que seja o resultado, o médico Paulo Faria já disse que Rubinho deve ficar no mínimo 10 dias em recuperação. Quanto a Doni, que estava com o joelho esquerdo inflamado, hoje ele já correu na esteira e pedalou na bicicleta ergométrica. Mas só o treinamento de amanhã cedo, no Parque São Jorge, vai dizer se ele terá ou não condições de enfrentar o Atlético-PR no domingo. "A ressonância magnética mostrou que não há lesão", explica o médico Paulo Faria. "Isso já é um bom sinal mas o grande teste será no treinamento de amanhã".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.