Corinthians quer apagar más recordações

No Parque São Jorge, falar em Figueirense significa recordar da eliminação da Copa do Brasil. Traz lembranças, também, da falta que o afastado Fábio Costa fez naquele jogo (derrota por 2 a 0 no tempo normal e 4 a 2 nos pênaltis, com o inexperiente Thiago no gol), das lambanças do ex-técnico Daniel Passarela e do bisonho pênalti cobrado por Roger. Os corintianos querem apagar da memória esta triste recordação. E para isso, sonham realizar grande jogo esta tarde e bater o indigesto adversário, às 16 horas, no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis."Temos de esquecer o passado e viver um grande presente. E nele, o que adianta é um grande resultado domingo", afirma o técnico Márcio Bittencourt, que já adotou a estratégia. Pretende sufocar o rival, mesmo atuando fora de casa. O objetivo mesmo complicado, é terminar rodada na liderança da competição.Para retomar o primeiro lugar, perdido há duas semanas, o Corinthians teria de vencer e torcer por combinação de resultados ? entenda-se tropeços de Fluminense, Internacional, Goiás e Santos. "Respeito o Figueirense, sei que não encontraremos moleza, mas vamos impor nosso ritmo, jogar nosso futebol", discursa Márcio. "Só não posso dizer que vamos voar, pois não temos asas. Só que chega um momento, que quem sonha em ser campeão não pode deixar os times de trás da tabela lhes roubar pontos."Para seu "importantíssimo confronto", Márcio aposta no retorno de seus principais jogadores, poupados no meio de semana no duelo diante do River Plate (0 a 0), no Morumbi, pela Copa Sul-Americana: Gustavo Nery, Roger, Tevez, Nilmar, entre outros. "É hora de encontrarmos a tranqüilidade."As palavras do treinador se traduzem em fim das especulações sobre sua saída do comando do time. Márcio sabe, mas não teme, que novo tropeço e sua continuidade volta a ficar ameaçada.Ainda mais com a possibilidade de voltar a escalar Fábio Costa, desafeto de Kia Joorabchian, presidente da MSI e queridinho do presidente Alberto Dualib. Após 34 dias recuperando-se de contusão no púbis, o goleiro fica no banco de reservas neste domingo. "Seria injusto com o Marcelo se o tirasse do time neste momento", adianta Márcio, adiantando, contudo, que muito breve terá de volta seu "jogador de confiança."A confiança demonstrada pelo treinador aumenta bastante quando fala de seus ataque, o mais positivo do Nacional, com 52 gols. Neste Brasileiro, em 12 jogos como visitante, o Corinthians balançou as redes adversárias 24 vezes (média de dois por duelo). E neste domingo o time, principalmente Tevez, entra em campo com ambição de anotar o 100.º da temporada. O atacante está em jejum de gols desde o dia 14 de agosto, nos 5 a 3 sobre a Ponte Preta. "Quero voltar a marcar, mas o mais importante é ajudar o time", diz o atacante. Com Nilmar, o argentino vem realizando grandes treinos e acredita repeti-los, nos jogos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.