Corinthians quer aproveitar crise do Guarani

Já que não consegue sair da desconfortável situação na qual se encontra no Campeonato Brasileiro desde o início do semestre, o Corinthians tenta, agora, arrastar os adversários para seu lado. Depois de atrapalhar o Goiás, que vinha de seis vitórias consecutivas e se aproximava da vaga na Taça Libertadores da América, com a vitória por 2 a 0 na última rodada, o alvo da vez é o Guarani. A partida acontece neste domingo, às 18 horas, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas.E olha que os corintianos nem precisaram se preocupar em desestabilizar o time campineiro. Os próprios jogadores do Guarani se encarregaram dessa tarefa. Inconformados com os atrasos no pagamentos dos salários que, segundo alguns, chega a cinco meses, os atletas decidiram aproveitar a última paralisação do Campeonato Brasileiro ? por causa dos jogos da seleção brasileira pelas Eliminatórias ? para fazer greve. O movimento acabou motivando o pedido de demissão do diretor de Futebol e ex-jogador Neto.Alheios a toda essa confusão ? "nós não temos nada a ver com isso e já tivemos muitas aqui do nosso lado", dizem no Parque São Jorge ?, os corintianos tentam aproveitar o raro período de paz que paira sobre o clube para conseguir aquilo que o técnico Juninho Fonseca busca desde o dia em que assumiu o comando técnico: a seqüência de vitórias. No primeiro turno, os corintianos venceram por 1 a 0, no Pacaembu, com gol de Abuda.Para não desperdiçar nova oportunidade, vale até arriscar algumas mudanças táticas. A principal tem no atacante Gil seu protagonista. A ele caberá a responsabilidade de jogar mais recuado, próximo do meio-campo. A idéia é eliminar dois problemas de uma só vez. O primeiro é a inoperante ligação entre meio e ataque, já que só Jamelli executa tal função. A outra é evitar que Gil fique "sumido" durante as partidas, como tem ocorrido nas últimas rodadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.